RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

terça-feira, 16 de junho de 2009

INSS EM GREVE

Greve deve atingir as 32 agências do INSS no Pará
Usuários temem que a greve atrase ainda mais o atendimento

Os funcionários do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) estão em greve por tempo indeterminado a partir de hoje em todo o Brasil. No Pará, a atitude deve provocar atrasos nos processos e atrapalhar a vida de milhares de pessoas, principalmente daquelas que lutam para conseguir uma aposentaria. A greve deve atingir as 32 agências do INSS no Pará. Cerca de 800 funcionários devem paralisar no Estado.
A pensionista Erondina Lima Guerreiro é uma das pessoas que ficarão prejudicadas com a greve. Ela entrou com um recurso para revisão de pensão no INSS, mas o prazo que deram foi até o dia 27 deste mês. Com a greve, ela acredita que tudo vá atrasar. “Eu já estou esperando isso desde setembro do ano passado, mas por causa de alguns problemas na documentação foi atrasando mais e mais. Agora o prazo é 27 de junho, mas vem essa greve e esse prazo não deverá ser cumprido”.
APOSENTADORIA - O mesmo acontece com a ex-pescadora artesanal Antônia Costa. Ela vai semanalmente até uma agência do INSS para reivindicar uma aposentadoria, mas o processo já foi indeferido duas vezes, desde quando deu entrada pela primeira vez, em 2006. Agora, ela espera a resposta de um recurso. “Tenho reumatismo, sou hipertensa e não posso trabalhar. Aqui sempre falta alguma coisa e a greve deve me prejudicar mais ainda, principalmente se demorar muito”. O presidente do Sindicato dos Servidores da Previdência, Antônio Maués, explica que, na manhã de hoje, os servidores estarão concentrados na agência central do INSS, na avenida Nazaré, e logo depois será realizada uma assembleia geral. De acordo com ele, o motivo da greve foi o descumprimento de um acordo com o governo federal assinado em 2005, no qual o governo prometia discutir a regulamentação da carreira dos trabalhadores, as condições de trabalho, a carga horária, entre outras medidas. No entanto, o governo não cumpriu o que prometeu e no dia 25 de maio baixou a Resolução nº 65, aumentando a carga horária dos trabalhadores do INSS de seis para oito horas e reduzindo em 33% o salário dos servidores que optarem por fazer seis horas. “Há 25 anos que nós cumprimos a jornada de 30 horas semanais e agora o governo que fazer essa mudança”.
Maués afirma que o aumento da carga horária é uma medida adotada pelo Governo Federal para não contratar mais funcionários, uma vez que cerca de 10 mil servidores devem se aposentar em 2009. “Ao invés de realizar concursos públicos, o governo quer aumentar nossa carga horária”. Ele afirma que, dessa maneira, algumas agências do interior precisariam fechar na hora do almoço por falta de funcionários. A greve foi decidida em Plenária Nacional realizada em Brasília no último dia 7 e foi conjunta também com os trabalhadores do Ministério da Saúde, que entrarão em estado de greve.
(Diário do Pará)

Um comentário:

Anônimo disse...

O Governo quer que o servidor se dane, acha que o servidor é escravo, por que não aumenta o horário de atendimento dos bancos !?!?!, porque os empresários não querem contratar funcionários, só que servidor não é escravo, GREVE JÁ !!!!!