RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

PMs de Belém e de três cidades paraenses vão ganhar moradia

Até o fim do primeiro semestre deste ano devem sair as licitações para a construção de novos conjuntos habitacionais destinados exclusivamente a policiais militares e seus familiares em Belém, Ananindeua, Marabá e Santarém. O anúncio foi feito ontem pelo novo comandante-geral da Polícia Militar do Pará, coronel José Dilson Melo de Souza Júnior, durante a cerimônia de posse do cargo.
O governador do Estado, Helder Barbalho (MDB), conduziu a solenidade, realizada na sede do Comando Geral da corporação, e reforçou que é responsabilidade de todo o sistema de Segurança Pública trabalhar para a construção do ambiente de paz. O chefe de Estado antecipou ainda que, a partir deste sábado (12), no dia do aniversário de Belém, 60 viaturas que estavam reservadas para atuação administrativa passarão a fazer parte do policiamento ostensivo em todo o território paraense.
Formado na Academia de Polícia Militar (APM) no ano de 1993, o novo comandante está há 26 anos na corporação. Bacharel em Direito, com mestrado em Defesa Social e Mediação de Conflitos, o agora chefe da Polícia Militar exercia a função de diretor da Diretoria de Ensino e Instrução antes de ser nomeado. Ele revelou que há quatro terrenos nos quatro municípios onde devem ser sediados os conjuntos habitacionais comprados há pelo menos dez anos, portanto não há mais porque perder tempo em iniciar os processos licitatórios.

ESTUDO
O coronel confirmou ainda que já foi feito um levantamento do mapa da criminalidade e 36 municípios foram identificados como tendo maior urgência em receber reforço no policiamento. “Isso inclui a Grande Belém, onde estão concentrados mais de 50% dos crimes de homicídio e roubo, nosso foco nesse primeiro momento, registrados”, justifica.
“Espero que com sua larga experiencia, o novo comandante-geral possa, junto de toda a equipe, construir um novo ambiente, de absoluta relação de valorização da tropa, necessária para que cada cidadão e cidadã vista sua farda com confiança no comando, e certeza e de que o Estado está ao seu lado. Vocês terão apoio pleno na função tão honrosa que é proteger e salvar vidas” discursou Helder Barbalho, que confirmou ainda a solicitação de estudos sobre o que pode ser feito para garantir maior segurança às famílias dos policiais, para além das possíveis soluções relacionadas à moradia em ambientes exclusivos.
O governador afirmou que depende apenas da autorização do Ministério da Justiça para receber os homens da Força Nacional que tentarão amenizar a enorme defasagem existente dentro da PM - para uma realidade mínima que deveria ser de pelo menos 33 mil agentes, há somente 16 mil em atuação. “Junto da Polícia Civil e das Guardas Municipais, a ideia é de se criar uma grande força-tarefa para uma atuação emergencial imediata”, diz.
Citando representantes do Ministério Público e do Poder Judiciário, Helder disse ainda contar com o apoio dos dois entes enquanto agentes responsáveis pelas investigações que levam às soluções dos crimes. Ele voltou a citar a necessidade de uma atuação de Governo que leve em consideração o enorme déficit fiscal do Estado, de mais de R$ 1,7 bilhão, e que o remanejamento dos veículos da PM que estavam reservados para atividades administrativas para as ruas é um exemplo de uma gestão eficaz e sem gerar custos.
A maior integração das inteligências das polícias deve marcar o início da gestão do novo comandante-geral. “Essa é uma orientação direta do governador, de intensificar essa integração. É apenas uma polícia, e não várias, e é preciso que haja integração entre todas as frentes. A atuação das milícias, por exemplo, é algo inquestionável no Estado, em especial na Região Metropolitana, e com as inteligências agindo em conjunto, temos mais chances de identificar as áreas de domínio e as lideranças”, analisa o coronel.
(Carol Menezes/Diário do Pará)

Nenhum comentário: