terça-feira, 8 de junho de 2021

NAS MALHAS DA POLÍCIA - ITAITUBA E REGIÃO

 

Acusado de homicídio, homem é preso pela PM no garimpo Crepurizinho, em Itaituba

Vancarlos - cusado de homicidio
Um homem, identificado como, Vancarlos Viana de Sousa, de 30 anos, foi preso pela Polícia Militar acusado de homicídio na Comunidade de Patrocínio. A prisão aconteceu no final da tarde desta segunda-feira (07), por volta das 18h.


A guarnição conta que localizou o acusado após denúncias de populares. Primeiramente, os policiais foram informados de que Vancarlos, suspeito de assassinato na comunidade supracitada, estaria no Distrito de Crepurizinho e, ao ser reconhecido, escondeu-se em uma área de mata.

De posse do que foi repassado, os policiais fizeram várias incursões na área indicada, mas não encontraram Vancarlos. Já por volta das 18h, os agentes receberam nova informação, a qual apontava que  o acusado estaria as proximidades de uma mineradora na Rodovia Transgarimpeira, em deslocamento sentido Crepurizão. Desse modo, após varias buscas, o acusado foi localizado e, não ocasião, confessou a autoria do crime.

À vista da situação, ele recebeu voz de prisão, e as autoridades competentes foram informadas, para as devidas providências.

________________

Sargento da PM que sofreu atentado a tiros responde processo por homicídio


O Sargento PM Gildson dos Santos Soares, atualmente lotado na 1ª Companhia Independente de Policiamento Ambiental (Cipamb), que sofreu atentado a tiros na manhã de terça-feira(8), em Santarém, responde processo na Justiça por homicídio e diversas tentativas de homicídios. Encontra-se em liberdade por força de Habeas Corpus(HC). Ele foi preso em 2018. O Mandado de Prisão com a assinatura dos três juízes criminais de Santarém na época, Gabriel Veloso Alexandre Rizzi e Rômulo Brito, foi cumprido pela Corregedoria da Polícia Militar.

No dia 28 de junho de 2018, segundo as investigações, ele disparou 12 tiros em um veículo, no bairro do Santarenzinho. O incidente causou a morte da doméstica Sônia da Silva Viana, 40 anos e ferimentos em outras três pessoas que se encontravam no interior do veículo.

Gildson responde ao processo denunciado pelo Ministério Público pelos crimes de homicídio qualificado (artigo 121, parágrafo 2°, incisos II e IV do Código Penal Brasileiro) e mais cinco tentativas de homicídio qualificado (artigo 121, parágrafo 2°, incisos II e IV, combinados com artigo 14, todos do Código Penal Brasileiro.

Na decisão do HC, os desembargadores determinaram que as medidas cautelares deveriam ser definidas pelo juízo local, após a expedição Alvará de Soltura. O juiz Gabriel Veloso, na época, determinou que o PM estivesse proibido de portar arma e  poderia cumprir serviços administrativos, até o final do processo.

Matéria em atualização…

RG 15 / O Impacto

Nenhum comentário: