quinta-feira, 1 de abril de 2021

A BARRA DE SÃO MANOEL CHORA A MORTE DA CENTENÁRIA INDÍGENA IZABEL MANHUARY MUNDURUKU

JACAREACANGA - Faleceu nesta manhã desta triste quinta-feira 1º de abril de 2021 a centenária indígena muito querida por todos, IZABEL MANHUARY MUNDURUKU, vitimada por males da idade avançada, conhecida  popular e carinhosamente por VÓ IZABEL.

As irmãs Tereza, já falecida, e Vó Izabel, se constituíram na Barra de São Manuel e toda a região adjacente e dos rumos do Teles Pires e Juruena,  além de seus tributários, como referencias de ordem cultural indígena e ainda religiosa, dando-se ênfase à  suprema devoção a São Sebastião, e eram responsáveis pela organização dos festejos comemorado ao Santo dos católicos, onde se concentravam nesses momentos o povo da redondeza e os que vinham de longe. Após a morte de sua irmã Tereza, Izabel, apesar da longevidade de dias que vivia,  lutando contra os males da idade, dava  continuidade às comemorações religiosas de seu aglomerado humano, costume que aprendera com os Franciscanos desde o inicio da catequese dos Munduruku, na região do Cururu.

Apesar das viagens intermitentes que fazia para aquisição de bens de consumo a Jacareacanga e nos tempos bons em que a FUNAI celebrava convênios com a Força Aérea Brasileira e que a FAB fazia dois voos mensais, e que vez em quando ia a Itaituba, essas viagens deixaram de acontecer devido a avançada idade, e foi mesmo em Barra de São Manoel que Vó Izabel encontrou em vida seu porto seguro e os habitantes e moradores das redondezas sempre estavam em volta desse ser iluminado que hoje deixa este plano para que seu espirito se dirija à memória do  Poderoso Deus através de São Sebastião  seu anjo protetor.

_________

Informações cedida pelo Vereador Gersinho Manhuary Munduruku, neto da falecida.

O UNIVERSO DA VENERANDA SENHORA IZABEL MANHUARY MUNDURUKU

BARRA DE SÃO MANOEL

Na junção de três estados da federação, Pará, Amazonas e Mato Grosso a Barra de São Manoel é uma comunidade centenária, surgida em 1901, resultado dos fluxos migratórios ocorridos no interior da Amazônia durante o ciclo da borracha. Localizada estrategicamente no encontro dos rios Juruena e Teles Pires, ela foi, em décadas passadas, um importante entreposto para o comércio da borracha.

Grande parte de seus habitantes trabalha hoje numa pousada instalada naquela área como piloteiros, vigilantes, cozinheiras, arrumadeiras e guias de pesca. Outros são extrativistas e um número muito reduzido é funcionário público.
 
A comunidade está situada entre os municípios amazonenses de Apuí e Maués, no Sul do Amazonas – o limite que divide as duas cidades corta a comunidade ao meio. A Barra está situada também em frente à confluência entre os rios Teles Pires e Juruena, que se unem e formam o Tapajós – por isso, ali é possível acessar três dos mais importantes rios da Bacia Amazônia.
 
Além disso, a Barra de São Manoel encontra-se ainda no limite entre os estados do Amazonas, Mato Grosso e Pará. Os serviços básicos, como saúde e segurança, vêm dos municípios de Apuí (AM) e Jacareacanga (PA), que dividem os custos e a oferta de equipamentos e profissionais. 
____________


Nenhum comentário: