domingo, 28 de fevereiro de 2021

DIABEÍSSO?/NET

 "NAS ONDAS DO WATTFACE"



A Pátria Educadora Petralha de Paulo Freire

OS ANTI-HEROIS DA PANDEMIA E A ROLETA RUSSA NOS "VÉIOS"

TEMPOS SOMBRIOS DEMIAOS ANTI-HEROIS DA PANDEMIA


OS ANTI-HEROIS DA PANDEMIA
Reproduzido do Facebook do Repórter free lance Nonato Silva  -   Jacareacanga
"Muitos copos , abraços, bebida no gargalo, narguilé, pegação.
Chega em casa, daquele jeito!
Vai na geladeira bem louco e dá aquele gole bem servido e cheio de saliva no gargalo da garrafa de água.
Come e joga o prato na pia, toma um banho, vai dormir.
Mãe e pai acordam, pegam na maçaneta, na torneira, lavam os pratos e talheres.
Usam o mesmo banheiro.
Logo o pai ou a mãe começam a tossir, passam mal - o filho vem no Facebook pedir oração.
Os pais não aguentam; agonizam e morrem.

Postagens de luto :
"Meu herói",
"Minha rainha"
"Mais uma estrela no céu".
Um enterro rápido e sem dignidade.
Fim.

Fatalidade ?
Pense nisso. É muito fácil culpar apenas as autoridades; cada um de nós tem seu papel nestes tempos sombrios."
____________
Título RP
Texto extraído da NET (Face do Nonato Silva)

sábado, 27 de fevereiro de 2021

SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO DE JACAREACANGA BALANÇA NO CARGO

 
Jacareacanga – Dionei Pereira  de Araújo, egresso  das salas de aula da Educação Infantil do município, considerado um bom professor, tentou uma vaga no Poder Legislativo no pleito passado sem lograr êxito, porém por sua liderança social e politica, incorporou-se ao Grupo Político do Prefeito Valdo do Posto, e foi nomeado no cargo de Secretário Municipal de Educação e Desporto, despertando confiança em seu trabalho como Gestor da Pasta mais importante do Governo, por sua  dedicação  e luta em defesa dos direitos do pessoal vinculado à educação.

Decorrido 57 dias de sua nomeação, seu planejamento, estratégias   e execução de trabalho sofre terrível revés com a aprovação unânime dos Vereadores presentes em Sessão (26/02) de um requerimento da parte da Comissão  e Cultura, Saúde e Saneamento, Transporte e Comunicação recomendando a exoneração da titularidade da Pasta do Professor Dionei Pereira de Araújo.

OS MOTIVOS

Todo início de ano é traumático para a gestão, por ocasião da  lotação de servidores da educação na Secretaria, devido esse momento despertar interesses até muitas vezes escusos para uso político, nas indicações, contratações e nomeações desse profissional de ensino, existindo apadrinhamento de amigos e outras vicissitudes que se vê no universo de lotação em todos os municípios. Dionei ao que parece não abriu muito espaço ao menos para dialogar com os que lhe procuravam sobre o gerenciamento de seu trabalho na pasta e seus objetivos, contrariando interesses.

Outra situação que contrariou os servidores foi o planejamento salarial para algumas classes funcionais, cujo comparando com a Gestão anterior, reduziu salários e vantagens funcionais.

A Comissão de Educação do Poder Legislativo composta pelos Vereadores Izaias Krixi Munduruku, Rainéricy Quintino e Ivair Datiê Karikafu, Presidente e membros respectivamente, já a alguns dias recebia constantes reclamações do trato que a clientela escolar e professores que procuravam a Secretaria recebiam do próprio  Secretário Dionei e seus principais adjuntos, tratamentos tais inadequados e por vezes com rispidez culminando em decidirem não atender a pessoa que procurava a Secretária, sem nenhuma justificativa.

Após profunda análise da situação, mesmo não havendo a intenção de desestabilizar o trabalho do Prefeito, já que o Poder Legislativo não existe uma pré-disposição opositora aparente ao Prefeito a Comissão de Educação propôs depois de uma breve exposição de motivos e justificativas convincentes, aos demais edis que aprovassem o instrumento  que requeria ao Senhor Prefeito Valdo do Posto a exoneração de Dionei Pereira de Araújo.

Uma complicada  ação deliberada do Secretário foi ausentar-se do município por quase duas semanas, no momento em que sua presença à frente de decisões de sua pasta ensejavam urgência, sem razões ou motivações conhecidas. 

Apontam comentários entre o público que sempre assiste as sessões camerais  que a unidade dos demais vereadores em torno de apoio ao prefeito Valdo pode ruir a qualquer instante, haja vista que  o Secretario ou o próprio Prefeito não nomeiam ou contratam pessoal indicado pelos vereadores que apoiavam seu adversário politico em campanha. JACAREACANGA PERDE MUITO COM ISSO SE CONTINUAR ESSE PENSAMENTO ARCAICO. Para trabalhar mais facilmente no Executivo o Prefeito precisa de todos.

Ainda há poucos minutos recebemos de Jacareacanga informação que a crise engrossa na Secretaria de Educação, uma vez que pessoas entregam documentos na Secretaria por mãos próprias, para serem contratadas ou através de algum vereador abonador da contratação, e que no exato momento  da entrega dos documentos já são determinados para trabalharem em determinadas escolas  e depois de uma, duas semanas são convidadas a não irem mais ao trabalho por não terem sido contratadas.

Creio que  se essa informação  proceder como verdadeira a Prefeitura de Jacareacanga é uma COBRA DE DUAS CABEÇAS tendo mais de um mandatário.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

BARRADOS NO BAILE - INDIGNAÇÃO E DESRESPEITO

Jacareacanga - O Rastilho, recebeu  à pouco tempo ligação telefônica de  uma pessoa identificando-se apenas como liderança indígena de uma aldeia próximo à Missão Cururu, que preferiu não dizer seu nome, que reclama que está compondo um grupo de lideranças  indígenas da região do Cururu e que programaram serem recebidos pelo Prefeito Valdo do Posto em busca de direitos que concluem como justos, ja que suas petições são voltadas para apoio comunitário e não individual. Colocou mais o indígena que julga que os funcionários da Prefeitura estão dificultando o acesso deles para falarem com o Gestor sem justificarem o porquê. Salienta o indígena que em campanha o hoje Prefeito garantiu que sempre seria uma alegria para sí receber em seu gabinete comandos indígenas, e que seriam recebidos sempre de forma especial e diferente, ao contrario de outras gestões;  e hoje considera que estão sendo desrespeitados e humilhados, pois sequer recebem qualquer que seja a atenção no prédio da prefeitura. Conclui a liderança  que o Prefeito foi eleito com quase 400 votos dos eleitores da Missão Cururu e em agradecimento de imediato assumiu compromissos com as lideranças para estender às aldeias  apoio de responsabilidade do Poder Executivo e hoje a realidade está sendo outra pois nem recebidos estão sendo.

Alega  o indígena que estava agendado para serem recebidos pelo Prefeito porem  por interferência politica de  uma ex-vereadora, ou candidata a vereadora, que declinou o nome que  não conseguiu  sair vitoriosa no pleito recém findo estão sendo prejudicados e acrescentou ainda que prejudicado estão sendo todos aqueles que acreditaram que o Valdo do Posto os receberiam com alegria e satisfação conforme constava de seu compromisso com seus parentes e comunidades. Por fim disse que irão ficar dentro das dependências da Prefeitura até serem atendidos.

O Rastilho de Pólvora, cujo seu responsável e editor priva da amizade do Valdo deixa evidente que sistematicamente em todas as postagens que se refere  à  Gestão Valdo do Posto procura mostrar todo apoio ao mesmo, apoio esse que os prefeitos precisam neste momento de planejar os seus respectivos governos, porém dada à situação de abandonar  e não receber as lideranças oriundas de tão distante como da Missão do Cururu,  ensejando que esta postagem faça uma retomada de consciência da assessoria que recepciona ou desenvolve a agenda do Prefeito, retomando definitivamente a atenção aos indígenas, não somente porque necessitam de atenção, mas devido terem que ser respeitados, independente do NÃO, que poderão receber.

A HORA E A VEZ DO PARÁ (JACAREACANGA) LUCRAR COM O QUE DE FATO E DIREITO LHE PERTENCE

 Fim de disputa na divisa entre MT e PA pode pesar no bolso de produtores da região

Decisão do STF afeta agricultores e pecuaristas com propriedades no Pará e documentação em Mato Grosso, que poderão ter que pagar ICMS na hora de comprar e vender a produção

23 de fevereiro de 2021 às 15h19

O fim de uma disputa que se arrastou por 16 anos na Justiça pode comprometer a renda de centenas de produtores que vivem em uma região da divisa entre Mato Grosso e Pará. Em maio do ano passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) negou um pedido do governo mato-grossense, que queria estender o limite territorial do estado. A área que esteve em litígio soma mais de 2 milhões de hectares em solo paraense, onde existem cerca de 380 propriedades com documentação fundiária, sanitária e fiscal registrada em Mato Grosso.

Com a decisão, elas terão que migrar a inscrição para as bases do Pará. Entretanto, quando fizerem isso, estarão passíveis de cobrança da alíquota de 12% ICMS na compra de insumos e a comercialização da produção, que – por questões logísticas – são feitas em Mato Grosso.

“Essas propriedades, principalmente na região de Alta Floresta e Paranaíta, não têm acesso aos municípios que elas irão pertencer no estado do Pará. Algumas propriedades que estão ali passam a fazer parte do município de Jacareacanga, ficando a mais de mil quilômetros de distância da área urbana. Eles não conseguem ter acesso direto porque tem algumas reservas indígenas e a base área do Cachimbo, que interrompe de fora a fora esse trajeto. Então eles tem que voltar, pegar a BR-163, para depois subir de novo e voltar até Jacareacanga. E é isso que a gente tem que ver como é que fica, a questão sanitária, fiscal e fundiária tem que ser decidida. O que a gente está pedindo é um prazo até que os dois estados possam chegar a uma conclusão de quem vai fazer o quê e aonde. Antes de mais nada, a gente pede a prorrogação deste prazo para que possa ser comercializado, por enquanto, livremente (da tributação interestadual), principalmente na agricultura, durante a colheita de grãos”, comenta Normando Corral, presidente da Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso, que acompanha o caso.

O prazo a que Corral se refere é o dia 15 de março, data pré-estipulada entre os órgãos de defesa agropecuária dos dois estados (Indea e Adepará) para as alterações cadastrais. “Tudo o que eles estavam comprando, como se tivessem dentro do estado de Mato Grosso, vão acabar tendo que pagar impostos porque vai ser uma transação interestadual. E tudo o que eles vão vender, também. Então é isso que estamos falando para os secretários de Fazenda de Mato Grosso e do Pará, para definir como isso ficará. Porque, se não, você acaba não permitindo a comercialização de toda aquela região já que eles não têm acesso para fazer isso aí ao estado do Pará que é o estado ao qual eles pertencem. Temos situação parecida com essa na região de Rondolândia, em Mato Grosso. Toda a comercialização deles, por causa de acesso, é feita com o estado de Rondônia. Então, algumas coisas que o estado de Mato Grosso pode fazer, principalmente em diferencial de alíquota, para que possa fazer essa comercialização. Mas para chegar a esse denominador comum precisa de um tempo, não é do dia para a noite”, reforça.

O que dizem os governos de MT e PA?

O titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso (Sedec-MT), César Miranda afirmou que “existe uma tratativa entre as duas secretarias de Fazenda (MT/PA), entre os dois institutos de defesa agropecuária, e entre as duas procuradorias gerais dos estados para que se construa – muito possivelmente – um termo de cooperação técnica entre os dois estados para que se ‘minimize’ a questão, tanto a que envolve as fiscalizações de defesa sanitária, como também na questão fiscal”.

Miranda diz ainda que essa região que era Mato Grosso e agora é Pará, não tem ligação terrestre nenhuma com o estado do Pará, apenas com Mato Grosso. O que também se aplica às compras de insumos e vendas da produção. “Para que eles (os produtores) não tenham uma perda muito grande, não fiquem inviabilizados na sua produção, os dois estados estão conversando para solucionar a situação”, garantiu.

Quanto à dilatação do prazo, o responsável pela Sedec-MT confirmou que “a princípio, a data foi acertada entre os dois institutos de defesa”, mas que já há conversas “para que se aguarde uma tratativa ‘mais macro’ entre os dois governos, a fim de que a questão seja resolvida como um todo”, concluiu.

Do lado paraense, a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa-PA), informou que “realizou reuniões para estudar uma maneira de facilitar a transferência da inscrição para o estado do Pará e assim regularizar a emissão de notas”.

A Sefa-PA disse ainda que “de acordo com o princípio da isonomia tributária, não é possível conceder isenção de tributos para contribuintes que vivem especificamente em uma determinada região”, encerrou.

Canal Rural

Contribuição Delival-Emater

Título RP

terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

O CÔNCAVO E O CONVEXO NO ENFRENTAMENTO AO COVID-19 EM JACAREACANGA

Alguns componentes da Barreira Sanitária

Jacareacanga -  A gestão municipal através da Secretaria Municipal de Saúde está usando  contínuas  Barreiras Sanitárias neste momento à entrada rodoviária do município, apesar de não controlar ou sustar a entrada ou saída de ninguém da sede do município, utilizando seus técnicos e agentes de saúde, entre outros e ate Agentes de  Transito, para promover intenso trabalho de recomendação e orientação e formas de se prevenir o Coronavirus que avança, recomendando  a utilização do  já tão decantado uso de máscaras  faciais e instituição de hábitos de higiene, principalmente nas mãos com frequente uso de álcool.

Técnico em Enfermagem Léo Celone Akay Munduruku

Às 10 hs deste dia  23 quando deixava o município pude conversar com algumas pessoas que estavam no plantão da Barreira Sanitária como as Agentes de Saúde Carla Ayres e Wal Santos  e Agente de Transito Moacir Omena.

Como sobredito na inicial desta postagem a Gestão Municipal se mexe para o enfrentamento ao terrível vírus,  fazendo gol de placa, porem  em contrapartida a maioria dos munícipes (cerca de 95%) fazem gol contra pois vivem sem proteção das máscaras, sem o recomendado isolamento social determinado pela Organização Mundial de Saúde e com grandes aglomerações tanto na área comercial  como nas vias publicas.

Algo que me surpreendeu  que mesmo com o esforço de vacinar os sexagenários o que remetia a imaginar longas filas já que a população idosa é numerosa na sede do município, pouquíssimas pessoas  foram aos Postos de Saúde receber a tão ansiada vacina.

É corrente, e isso mostra-se como um absurdo, e entre esses  até alguns servidores da Saúde dominando  essa  mesma ideia, que numeroso grupo da população não acredita na eficácia da vacina. Havendo segundo comentários e rumores que essa ANVISA TUPINIQUIM criada  do imaginário popular do município encontra-se infiltrando informações negativista sobre a eficácia da Vacina entre os indígenas. Barbaridade

domingo, 21 de fevereiro de 2021

EM ITAITUBA, MURO DE CONTENÇÃO E PROTEÇÃO DO LOTEAMENTO CIDADE NOVA DESABA COMPROMETENDO DOZE CASAS

Desabamento aconteceu após intensa chuva que caiu durante este sábado (20) na região. Pelo menos 12 casas foram afetadas. Defesa civil esteve no local para orientar os atingidos.

Um vídeo de uma câmera de segurança mostra o momento em que um muro desaba no Loteamento Cidade Nova, em Itaituba. As imagens foram gravadas na noite de sábado (20), por volta das 19h50. (veja o vídeo abaixo)

Com 17 segundos, o vídeo mostra quando o muro cede devido ao solo encharcado por conta das constantes chuvas que caem na região. Pelo menos 12 casas foram afetadas, entre a quadra 10 e 11, na rua M do loteamento, toda estrutura desabou. Ninguém ficou ferido. 
Em conversa com a equipe de reportagem do Portal Giro, um dos moradores relatou que devido ocorrido não dormiu a noite com medo de um novo desabamento no local. “A gente passou transtorno e nem dormiu, fiquei acordado, uma coisa ao invés de virar um sonho, vira um pesadelo” comenta.

Assim que souberam do desastre natural, engenheiros responsáveis pela obra e representantes da empresa que mantém o loteamento, JJP Construtora, estiveram no local e deram suporte aos atingidos. Oferecendo-lhes estadia em um hotel da cidade até que tudo fosse resolvido pela equipe. Alguns moradores optaram por ficar em suas residências ou dormir na casa de parentes.

As famílias também foram aconselhadas pela Defesa Civil a procurarem um advogado que possa responder pelo coletivo de atingidos como um todo, para que pudessem reaver os valores pagos pelos imóveis ou exigir da empresa responsável novas casas para os moradores.


Fonte Portal Giro
Título RP

ENCURTANDO DISTÂNCIA - GLEBA SÃO BENEDITO COM ATENÇÃO REDOBRADA DA PMJ


JacareacangaValdo do Posto, Prefeito Municipal preocupado com a receita do munícipio visando fazer o necessário equilíbrio com as despesas existenciais do Poder Executivo,  nomeou para a  função de confiança  de Representante  da PMJ  na Gleba São Benedito, o servidor CLEBSON BARROS (foto) que além de representante do Prefeito junto àquela localidade geminada ao município de Paranaíta  tem por finalidade  conduzir  assuntos de suporte à funcionalidade da educação e promoção de saúde de responsabilidade das Secretarias de Educação e Saúde  do municio de Jacareacanga.

A nomeação se justifica em se designar um servidor para a atividade de controle e gerenciamento, devido a imensurável  distancia geográfica que separa a Gleba São Benedito, da Sede de Jacareacanga, impedindo que as ações de Educação, Saúde e politicas de desenvolvimento social possam sofrer descontinuidade.

Além dessa atenção, o Gestor Municipal está compondo uma equipe multidisciplinar com servidores do Meio Ambiente, Tributos, Diretoria de Terras, Vigilância Sanitária, Ação Social para fazer captação de recursos provenientes de licenciamentos ambientais, expedição de Alvarás, impostos sobre construções civis, e o que incidir sobre funcionamento de desdobro de madeiras nas serrarias e  remanejamento de semoventes,  considerando que naquela região que pertence ao município de Jacareacanga contem considerável rebanho bovino. Também é nítida a intenção do Prefeito fazer inclusão social.

Clebson falou que o Prefeito estará no inicio da semana na região, para alavancar o inicio do trabalho proposto à captação de recursos e nutrir o que for de responsabilidade do município com estruturas de apoio seguras e duradouras, como transporte escolar, as edificações da  escola e Posto médico  com condições de estender à população envolvente, melhores condições de assistência que o município se propõe de acordo com sua responsabilidade constitucional.

CHIFRE, BEM BOM, QUIPROCÓ E PORRADA


 Esposa teria perseguido carro da amante. | Reprodução WhatsApp
POR BAIXO DOS PANOS

O pau quebrou: deputado é flagrado por esposa com amante  em condomínio de luxo no Pará. Veja o  video!

O assunto repercutiu com força na internet no sábado (5), mas a história teria acontecido no ultimo dia 5 de janeiro.

 sábado, 20/02/2021, 22:52 - Atualizado em 21/02/2021, 11:32 -  Autor: Redação

Dizem quem em briga de marido e mulher ninguém mete a colher. No entanto, quando os personagens são muito conhecidos, é difícil segurar a história. No ultimo sábado (5) e na manhã deste domingo (6), vazou forte na redes sociais a confusão promovida em um condomínio de luxo na Região Metropolitana de Belém entre um deputado federal, sua esposa e sua amante.  Apesar da história ter de fato acontecido, o "quiprocó"  teria se dado no último dia 5 de janeiro, segundo fontes do próprio condomínio consultadas pelo DOL. 

Segundo declarações de testemunhas nas redes sociais, a mulher deu o flagrante e espancou os envolvidos sem dó. Num vídeo que circula na redes sociais, uma testemunha afirma supostamente houve inclusive perseguição de automóveis nas ruas do condomínio e uma das envolvidas teria puxado, inclusive, uma arma para ameaçar a outra, colocando em risco crianças e transeuntes que circulavam pelas ruas do condomínio de luxo.

A HISTÓRIA

A esposa do parlamentar teria saído para trabalhar e, após uma denúncia anônima, voltou para casa para checar a informação da traição. Ao chegar na residência, encontrou o marido em pleno ato sexual com a amante.

Sobre a confusão, o DOL entrou em contato com a Polícia Militar que disse estar levantando informações sobre a ocorrência e que daria retorno. O DOL optou também por manter em sigilo o nome dos envolvidos.

 Esposa teria perseguido carro da amante. | Reprodução WhatsApp

TÍTULO RP


sábado, 20 de fevereiro de 2021

EX-COMANDANTE DA POLÍCIA MILITAR DE ITAITUBA É VITIMADO PELO COVID-19

O Tenente-coronel Robson Martins de Oliveira, estava internado há 45 dias e, por vezes, apresentou leves melhoras, mas acabou não resistindo. Ele comandou o 15ºBPM entre 2016 e 2018.

Por Moisés Sodré 

Tenente Coronel/PM Robson Martins de Oliveira vitimado pelo COVID-19

O Tenente-coronel Robson Martins de Oliveira, ex-comandante do 15º Batalhão de Polícia Militar, em Itaituba, morreu na madrugada deste sábado (20), em decorrência de complicações do Covid-19. Robson estava internado há 45 dias no Hospital Porto Dias, em São Paulo. As informações são do Portal Tailândia.

Além de Covid, Robson teve princípio de Acidente Vascular Cerebral (AVC) e chegou a ficar intubado na Unidade de Tratamento Intensivo da unidade de saúde. O estado de saúde era considerado gravíssimo.

Por vezes apresentou leves melhoras, mas acabou não resistindo. Robson Martins já havia apresentado melhora após ser internado, mas teve piora e precisou ser sedado e intubado.

Devido a pressão arterial ter caído ele precisou usar uma medicação forte e acabou prejudicando os rins também, para melhorar teve que fazer hemodiálise. O falecimento ocorreu por volta de 1h15 da madrugada.

De acordo com a irmã dele, o pai da policial também já tinha falecido após terem se infetados com a doença.

Carreira militar
O Tenente Coronel Robson Martins de Oliveira, comandou o 15º Batalhão de Policia Militar de Itaituba, entre 2016 e 2018, antes, porém, passou por Paragominas como subcomandante no 19ª BPM, comandante da 6ª Companhia Independente de Policia Militar em Tailândia, Subcomandante do 14ª BPM em Barcarena.

Em sua despedida do comando, em 23 de fevereiro de 2018, Robson disse: “Levo a certeza de ter feitos bons amigos e ter trabalhado no sentido de aproximar as instituições com a relação à Policia Militar, de ter feito o que estava ao nosso alcance, para melhorar, em se tratando de segurança pública, a vida da sociedade itaitubense

DIABEÍSSO?/Net


"NAS ONDAS DO FACE"

 


A Pátria Educadora Petralha de Paulo Freire

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

MUNDO ALCALINO - A ÁGUA PARA A SUA SAÚDE



QUE TIPO DE AGUA VOCÊ DÁ PARA SUA FAMILIA? COMUM OU ALCALINA?

VOCÊ SABE A DIFERENÇA SOBRE A ÁGUA COMUM  OU ALCALINA ? NÃO?

Solicite sem compromisso  e agende a visita de um consultor  para demonstração - Consultor em Itaituba e região Sr. Akácio 99247-1315 

ASSISTA ESSE VÍDEO  E VEJA O QUE A ÁGUA ALCALINA  OFERECE PARA A SUA SAÚDE!

                                                             

                                                                            


quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

Altamira (PA) é a cidade da Amazônia Legal que mais desmatou em janeiro de 2021, aponta Imazon

 

O Pará foi o segundo estado da Amazônia Legal que mais desmatou em janeiro de 2021, segundo o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). O estado tem ainda Altamira como município que mais desmatou e as seis terras indígenas mais afetadas pelo desmatamento no período (veja nos gráficos). De acordo com o levantamento, em janeiro de 2021, o desmatamento total da Amazônia foi de 196km², índice que revela o terceiro maior valor da série histórica nos últimos dez anos. Do total, a área desmatada no Pará foi de 30%, correspondente a 58,8km². Os dados são do Sistema de Alerta do Desmatamento (SAD), que monitora via satélite as áreas desmatadas na Amazônia legal.

Ainda segundo o estudo, o município de Altamira, no sudoeste do Pará, foi o que mais desmatou a Amazônia Legal no mês de janeiro. São Félix do Xingu e Jacareacanga também aparecem na lista dos dez municípios que mais desmataram. O maior percentual de desmatamento foi registrado no estado do Mato Grosso, com 41% da área total desmatada na Amazônia no mês de janeiro deste ano. De acordo com os dados, de agosto de 2020 a janeiro de 2021, houve um aumento de 46% do índice de desmatamento em relação ao mesmo período do ano anterior.

O levantamento apontou que a maioria, cerca de 69%, do desmatamento na Amazônia, ocorreu em áreas privadas ou sob diversos estágios de posse. O restante do desmatamento foi registrado em assentamentos (16%), unidades de conservação (12%) e terras indígenas (3%). O estudo também levantou dados a respeito da área de degradação florestal, que se diferencia do desmatamento por ser um distúrbio parcial na floresta, causado pela extração de madeiras e queimadas. Por outro lado, o desmatamento consiste na conversão total da floresta para outra cobertura e uso de solo.

A área total degradada na Amazônia Legal foi de 98km² em janeiro, apontando uma redução de 43% em relação a janeiro de 2020. Do total, o Pará degradou 16% das florestas, ficando em segundo lugar no ranking, atrás apenas do Mato Grosso, que liderou com 83% de degradação.

Fonte: G1-PA

Referência em atendimento humanizado, Hospital Regional do Tapajós recupera 218 pacientes de Covid-19


Pacientes de outros municípios ressaltam a qualidade do atendimento recebido na unidade mantida pelo Governo do Pará em Itaituba.

“Eu cheguei aqui praticamente morto. Dei muita sorte. Nas primeiras noites, eu tive dois surtos e pensei: acabou! Mas, ao mesmo tempo, eu olho para trás, e vejo que sem a ajuda dos médicos, psicólogos e assistentes sociais não teria conseguido. Foram eles que me deram forças e deram forças para minha família. Agora, acima de tudo, Deus é muito maravilhoso. Nós temos que nos apegar a Ele, porque é o que nos sustenta. E eu vou vencer, junto com a minha família que está lá fora. O esforço é muito grande. Passei por três UTIs. São 30 e poucos dias, nem sei quantos, mas eu só tenho a agradecer”.

O relato emocionado de Tomaz Vieira Aquino, morador do município de Alenquer, no Oeste paraense, é pontuado pela gratidão ao tratamento recebido no Hospital Regional do Tapajós, em Itaituba. Internado no HRT desde o último dia 10 de janeiro, Tomaz é mais um paciente de outra cidade recuperado de Covid-19 no hospital de referência do Sudoeste do Pará. Ele foi transferido porque sua condição estava se agravando.
A humanização no tratamento faz a diferença para pacientes e seus familiares / Foto: Pedro Guerreiro


Assim como Tomaz Aquino, o paciente José Emílio, morador do município de Juruti, também foi transferido para o HRT em estado grave devido à Covid. Ele conta que o carinho, amor e atendimento da equipe multidisciplinar foram essenciais para que tivesse êxito em seu tratamento. Longe da família, ele agradeceu aos profissionais pelo tratamento humanizado. “Eu só tenho que agradecer a Deus por ter tido essa outra oportunidade de viver. Aqui nós não recebemos apenas serviços médicos. Nós recebemos calor humano, e isso foi determinante para nossa recuperação. Eu fico muito feliz em receber um atendimento como esse. Fui colocado no colo. Quando cheguei aqui estava praticamente morto, em uma situação quase que irreversível, mas graças a Deus estamos saindo, e a dose principal que recebemos aqui foi amor”, afirma José Emílio. Tomaz e Emílio estão entre os 218 pacientes que receberam alta médica no Hospital Regional do Tapajós. Referência no tratamento de Covid-19 na região, a unidade é uma das estruturas ofertadas pelo Governo do Pará para conter o avanço da pandemia no Oeste do Pará. Entregue pelo Estado em julho de 2020, a unidade atende atualmente infectados pelo novo coronavírus e casos de urgência e emergência na área de politrauma. O HRT dispõe de 75 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 54 leitos clínicos exclusivos para Covid, e 10 leitos de UTI e clínica politrauma.
Em frente ao HRT, parentes oram pela recuperação dos pacientes / Foto: Pedro Guerreiro

Construído em uma área de 16.290 metros quadrados, o HRT é um dos três hospitais de referência do governo estadual no combate à pandemia no Oeste do Pará, que já vivencia a segunda onda de contágio da doença. Com uma equipe multidisciplinar, o Hospital funciona com três andares de UTIs e clínica médica. “Temos uma estrutura bem ampla, com oferta de 75 leitos de UTI e 54 leitos clínicos para pacientes de Covid. Temos uma equipe multidisciplinar com médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, assistentes sociais, psicólogos, entre outros profissionais, para que a gente possa dar todo esse aporte ao paciente e ao familiar do paciente, para ofertar um serviço de excelência”, informa Karla Cajaíba, diretora-geral do HRT.

Karla Cajaíba, diretora-geral do HRT, destaca a estrutura disponível para pacientes e familiares / Foto: Pedro Guerreiro
Qualidade 
Com uma grande demanda, o Hospital Regional do Tapajós foi estruturado para realizar vários níveis de atendimento em pacientes com Covid-19. O coordenador de UTIs da unidade, João Ângelo, explica que a estrutura e a divisão dos leitos foram planejadas para oferecer o melhor atendimento aos pacientes. “Aqui, nós temos recebido cerca de cinco a dez pacientes por dia, de toda a região. Temos um hospital com várias estruturas de UTI, com vários níveis de cuidado, atendendo todo tipo de demanda: de pacientes com quadro leves em enfermaria, pacientes com quadro moderado em reabilitação e necessidade de suporte nutricional intensivo em uma UTI específica, e pacientes que, infelizmente, evoluem para o quadro muito grave da doença com intubação, e até mesmo com necessidade de hemodiálise, que tem UTI tipo 3 equipada para atender esse tipo de paciente”, garante João Ângelo.

LEIA A MATÉRIA COMPLETA  Clicando AQUI




Colapso em Miritituba é responsabilidade da AMPORT

Peninha acusou a empresa de ser a responsável pelo caos na Rodovia Transamazônica


O vereador Peninha criticou nesta quinta-feira, dia 18, a empresa AMPORT, entidade que agrega as empresas portuárias e acusou a mesma de ser a responsável pelo caos que vem acontecendo na Rodovia Transamazônica, trecho Campo Verde - Miritituba. Peninha disse que desde o funcionamento dos portos as empresas portuárias veem usando a estrada provisória como corredor para o embarque de grãos e a AMPORT tem se preocupado em apenas fazer remendos nesta estrada de 8 kms. No verão a AMPORT contrata carro pipa para molhar duas vezes por dia e no inverno apenas tapa alguns buracos. Nunca se preocupou em preparar esta estrada para ser trafegável no verão e no inverno ou até mesmo asfaltar, disse Peninha.

Ver. Peninha

"Esta estrada provisória, que foi construída pelo senhor Piauí vem há mais de 8 anos servindo aos portos, e as empresas portuárias pouco fizeram para melhorar. Tem ladeiras, que quando chove, as carretas ficam atravessadas, interditando o tráfego. Em outros trechos, há lama e deslizamento, fazendo com que os caminhões muitas das vezes saiam da estrada", alegou Peninha. 

O parlamentar lembra que a comunidade de Miritituba por diversas vezes em reunião com representantes da AMPORT já pediu o asfaltamento desta estrada. "Eu próprio já apresentei na Câmara requerimento solicitando o asfaltamento desta estrada, entretanto, até hoje não foi atendido", disse 


Inclusive, prosseguiu o edil, a AMPORT propalada em Miritituba que ofereceu dinheiro para o município asfaltar, o que não é verdade. Quem tem que asfaltar é a AMPORT, garantiu Peninha, pois recebe mensalidade dos seus associados. Esta entidade AMPORT, antes ATAP, fez um mundo de promessas quando da construção dos portos e pouco cumpriu e agora tenta jogar os caminhoneiros de encontro as autoridades municipais. 


"Hoje, o que estamos vendo, é uma estrada intrafegável, devido as constantes chuvas na região e enormes filas se formando em toda a estrada portuária, nas rodovias Cuiabá Santarém e Transamazônica, trecho de Campo Verde a Miritituba", prosseguiu Peninha. 


"Recebi várias ligações de caminhoneiros, que estão há mais de 10 dias parados, que estão sem local para tomar banho, fazer necessidades e até comer. É lamentável, que esta entidade mantida pelas empresas portuárias não esteja dando o mínimo de atenção a estes profissionais do volante, que vem de longe transportando grãos para exportação. Os caminhoneiros estão abandonados, gastando o que não tem para se manterem. Ficar nos pátios (triagem) por muitos dias vão ter que pagar diária. É delicada a situação dos caminhoneiros", afirmou Peninha. 


Peninha pede providências urgentes, urgentíssimo da AMPORT e do Governo Federal para resolver o problema, pois o caos está implantado na região de Miritituba. "Este caso tem que ser resolvido urgente, para evitar um maior problema social na região", concluiu o Vereador. 

 Fonte: Portal Santarém