terça-feira, 11 de junho de 2013

SEMAI - VALORIZA O INDIO MUNDURUKU


Técnicos da Semai e da Sec. de Agricultura de Jacareacanga, coordenado pelo diretor de Assuntos Indígenas Augusto Martins, realizam desde segunda feira o curso de capacitação de beneficiamento da farinha de mandioca no Posto Indígena Munduruku, este treinamento tem por finalidade o aperfeiçoamento na qualidade e na confecção da farinha produzida pelos indígenas na intenção de valorizar ainda mais a produção e alcançar um peço de excelência no comercio local, inclusive na feira do produtor que será inaugurada dia 8 sábado na cidade de Jacareacanga, que é uma conquista da Secretaria Indígena e da Secretária de Agricultura em nossa região.
O projeto Farinha Munduruku tem por finalidade garantir as famílias uma renda mensal conforme sua produção, algumas aldeias que já fizeram essa capacitação, está sendo beneficiadas pela venda do produto e que a secretaria indígena tem buscado mercado para garantir as comunidades compradores de toda sua produção.  A Prefeitura Municipal através da SEMAI está estreitando relacionamentos com outras instituições de apoio aos índios para garantir a continuidade desse projeto.
A comunidade Munduruku, solicitou no mês de maio do secretário Ivânio, que o curso fosse realizado nesse período devido à necessidade de se produzir uma farinha com mais qualidade e que fosse agregado valores para comercializar por um preço melhor.
Atendendo ao pedido das lideranças, o secretário determinou que fosse feito com a maior brevidade possível o treinamento na intenção de atender a reivindicação dos indígenas. O curso começou na segunda e terminará na sexta feira, pois a produção da farinhada na aldeia Munduruku, servirá para garantir o pagamento dos materiais utilizados na casa de farinha para a confecção do produto da mandioca. As caixas d’águas, caititu, peneiras, bacias, sacos de fibra e etc..
O projeto é sustentável e garante ao produtor condições de comprar seus equipamentos para garantir sua produção com qualidade. A Emater-Pa nesse curso não pôde fazer presença por ter uma agenda de trabalho em outra área, porém a Semai recebeu total apoio do coordenador local Raimundo Delival para a realização desse curso.
Após a realização dessa capacitação, a SEMAI irá avaliar as cinco aldeias na intenção de valorizar e verificar a aumento da produção se tem seguido uma qualidade e crescido o numero de sacas produzidas por eles. Essa ação será realizada em todas as aldeias sede tanto na área Munduruku quanto na área Sai Cinza.
A intenção da secretaria indígena é voltada para a qualidade da farinha e de todos os seus derivados por eles produzidos.
Pra o prefeito Raulien Queiroz, a comunidade passa a ser independente quando toma atitudes dessa natureza nas ações de produção que obedece a um critério exigido pelo mercado consumidor que garante um bom produto final na mesa do consumidor, e é por isso que será colocado a disposição das comunidades indígenas box na feira do produtor para atender as comunidades que estão produzindo não somente a farinha mais outros produtos oriundo de sua cultura. 
“Sabemos que a qualidade da farinha garante aos índios um valor de mercado melhor, apenas pegamos a experiência deles para melhorar o que eles já sabem fazer, não estamos ensinando os índios a fazer farinha e sim melhorando a técnica da produção, valorizar o produtor mesmo sabendo que apenas o excedente será vendido, garante a eles o direito de uma vida melhor sem que venhamos mudar seu modo de vida”, disse o secretário Ivânio. 
Toda semana chega em Jacareacanga farinha produzida pelas comunidades indígenas e a secretaria indígena SEMAI estende o apoio na venda do produto para garantir aos índio um preço melhor, e isso tem tido êxito para ambos os lados, comercio abastecido, índios com o dinheiro do produto e o consumidor satisfeito com a qualidade da farinha.
A Semai não ficará somente estagnada na farinha, já está buscando alternativas com empresas extrativistas para comercializar a copaíba, castanha, mel e outros derivados, e por esse motivo será realizado na aldeia Karoçal do Rio das Tropas um curso de capacitação de Copaíba que terá como aliados ICMBIO, BERACA, FUNAI, EMATER-PA, SEC DE AGRICULTURA, essa parceria mostra que as instituições estão voltadas a uma qualidade de vida entre os Munduruku, este curso está previsto começar no final do mês de junho.
A secretaria indígena busca melhorar as condições do índio aldeado para evitar o êxodo rural, ou seja, muitos indígenas querem trocar sua aldeia pela cidade devido às facilidades que eles encontram aqui na sede do município, porém isso tem sido um problema social na sua cultura, estamos buscando meios de evitar esse tipo de atitude, dando a eles oportunidade de crescerem dentro de suas aldeias.
------
Far Fino

Nenhum comentário: