RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Força Nacional deve combater a violência no Pará?

Apesar dos esforços do ministro da Integração Nacional Helder Barbalho, que no início deste mês solicitou ao ministro da Justiça Torquato Jardim,  intervenção federal para combater a grave crise de segurança pública instalada no Pará, com presença da Força Nacional de Segurança ou do Exército Brasileiro, o Governo do Estado preferiu não reconhecer a incapacidade de controle da situação e aceitar a ajuda da União.

O triste retrato da violência no Estado reflete diretamente o descaso de ações efetivas de segurança pública a favor da população e foi revelado ontem no lançamento do Atlas da Violência 2017, que traz dados consolidados de 2005 a 2015 em todas as unidades da Federação.

Pará está entre os cinco Estados mais violentos do Brasil e Altamira é apontada como a mais violenta entre as 304 cidades com mais de 100 mil habitantes. Com o total de 116 homicídios em 2015, o que representa uma taxa de 107 por 100 mil habitantes, Altamira supera em mais de três vezes a média nacional, que é de 28,9 homicídios por 100 mil habitantes. 
Há quase um mês, um confronto entre supostos invasores de terra e policiais militares e civis terminou em tragégia, com 10 mortos, na fazenda chamada Santa Lúcia, localizada no município de Pau D'Arco, distante cerca de 50 km de Redenção, no sudeste paraense.

Um dos casos de violência mais recentes na capital paraense foi a chacina na Rua Nova Segunda, no bairro do Condor, em Belém, entre as ruas Tupinambás e Apinages. Ao menos 5 mortos e 15 pessoas feridas, incluindo duas crianças, foi o saldo de uma noite de terror que começou por volta das 22h da última terça-feira (6).

Diante de todo este panorama de violência, você é a favor da vinda da Força Nacional para ajudar no combate da onda de violência no Pará? Deixe seu comentário, o DOL quer saber sua opinião! 

(DOL)

Nenhum comentário: