RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Cinco assassinatos após morte de PM em Abaetetuba

Cinco assassinatos após morte de PM em Abaetetuba (Foto: via Whatsapp)
Cinco pessoas foram mortas com sinais de execução, e outras quatro foram baleadas mas sobreviveram, no município de Abaetetuba, no nordeste paraense, na noite da última terça-feira (8). Os crimes aconteceram horas após o assassinato do policial militar Sérgio Augusto Miranda Margalho, 55 anos.
Os crimes foram registrados entre 21h30 e 23h25 em diferentes bairros do município e, segundo testemunhas, os autores dos disparos seriam de três e quatro homens encapuzados em motocicletas.
As vítimas da chacina foram identificadas como: Leonel Correa Santos, de apelido Bezorão; Meick Cardoso Silva, de apelido "Milk Shake"; Luís Carlos Oliveira de Lima, de apelido "Buck"; Gleydson Diego Nery Silveira; e Reinaldo Quaresma Silva, de apelido "Rei.
Além dos cinco mortos, outras quatro pessoas foram baleadas, mas sobreviveram e estão internadas no Hospital Metropolitano de Belém. Os pacientes são: Gracilda Nunes Farias, João Cláudio Correa Macedo, Valter Soares Carvalho e Vagner Monteiro da Silva.
MORTE DO POLICIAL
De acordo com informações da Polícia Civil, o cabo da PM Sérgio Augusto de Miranda Margalho estava de folga e morreu dentro de casa com um tiro nas costas supostamente disparado pelo próprio sobrinho, identificado como Leone Margalho Filho.
O motivo do crime seria porque o policial chamou a atenção do sobrinho pelo fato de o suspeito ser usuário de drogas. Após o homicídio, o assassino fugiu levando a moto do policial e, possivelmente, também levando a arma da vítima, um revólver 38, já que ela não foi encontrada na casa.
Quatro testemunhas foram ouvidas em depoimento, durante a noite dessa terça-feira (7), por policiais civis de Abaetetuba, e confirmaram essa versão, apontando o nome do suspeito.
Ainda de acordo com a polícia, uma equipe da Divisão de Homicídios de Belém foi deslocada para o município para assumir as investigações e se integrar aos policiais civis de Abaetetuba.
A corporação declara, por fim, que “é precitado afirmar a existência de ligação entre os crimes e a morte de um policial militar registrada por volta de 19 horas no município”.
O clima é considerado tenso entre os moradores de Abaetetuba, que temem novos assassinatos na região.
(Com informações de Vieira Filho)

Nenhum comentário: