RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

sábado, 24 de dezembro de 2016

AO ETERNO COMANDANTE

 
O FUNERAL...
A familia desolada
A viuva inconsolada
Os amigos se perguntando,
porque isso aconteceu?
A sogra sofrendo como uma mãe
que perde seu filho querido
O sogro que perde o filho guerreiro
...e eu bem alí decifrando a vida perdida.
 
NO FUNERAL...
O vento sopra mais forte
O semblante de todos está pesado
Com o coração amargurado
O ambiente é de morte sofrida
...e eu bem ali com a alma comovida.
 
O SEPULTAMENTO...
Afloraram emoções
quando esquadrilha de aviões
em voos rasantes
nada era como antes
homenagem mais que justa
...e eu estava alí chorando lagrimas sentidas
 
O ÚLTIMO VOO...
Em sofrimento novo
faça ao céu, Comandante Noco
seu mais belo, longo e derradeiro voo
...e eu estava ali onde ninguém vi sorrir
Só choravam,
só sofriam.
...e eu bem ali, só chorava, não sorria.

 

Um comentário:

Bel Lar Decomposição Térmica disse...

Olá amigo, não conheci o CMTE. NOCO pessoalmente, mas sei da amizade dele com meu irmão CMTE. LUIZ FELTRIM. Sei que nada que se diga diminui a dor de quem perdeu uma pessoa querida, mas posso afirmar que DEUS em sua infinita bondade permite que nossa dor abrande ao longo do tempo e que as lembranças sejam mais fortes do que a tristeza, fazendo da ausência um até logo...
Muito provavelmente o CMTE. NOCO fez sua viagem derradeira ao encontro de seus muitos amigos aviadores que já voaram para o infinito. Amemos as pessoas como se não houvesse amanhã, porque esse é o destino de todos nós.
Um forte abraço
Maria Cristina Feltrim/Rio de Janeiro