RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

CONFLITO EM JACAREACANGA, O PONTO FINAL

REUNIÃO COM NERVOS AFLORADOS+
POPULAÇÃO PRESENTE+
TENSÃO+
HABILIDADE DO COMANDANTE MILITAR = 
RESULTADO FINAL: POSITIVO


Jacareacanga - Às pressas por exigência dos indígenas Munduruku que coordenam organizações de apoio à causa Indígena (Pusuru, Movimento), sob a coordenação do Líder Indígena Valdelirio Manhuari, foi convocada uma reunião extraordinária no plenário da Câmara Municipal, tendo como convidados os comandos das Policias Militar e Civil, Vereadores, Associações Indígenas, Cacique Geral Arnaldo Kabá e uma gama da sociedade local  e representantes classistas. O Prédio do Poder Legislativo ficou superlotado apesar da transmissão aos radiouvintes por duas emissoras comunitárias. O assunto discorrido versou sobre segurança pública e a onda avassaladora de disseminação de entorpecentes na cidade e a provável incapacidade ou conivência de alguns entes das Forças Policiais local, de agir com presteza honestidade e vigor. O moderador da reunião Valdelirio Manhuari relembrou que crimes contra a vida de indígenas ficam sempre no rol dos insolúveis, citando em particular o crime de morte que envolveu o Indigena Adenilson Krixi na operação Eldorado e outro indígena da Aldeia Teles Pires que foi assassinado em plena via publica e até hoje a Policia Civil não elucidou. Inflamado o indígena Valdenir Noris  manifestou-se que aguarda providencias enérgicas da Policia para conter a disseminação de drogas no município e a prisão de traficantes, e concluiu que a coletividade indígena é a mais prejudicada com essa distribuição fácil de drogas e que tem indígenas ja consumindo e até vendendo, e para prevenir mal maior aos seus parentes desafiou que se a policia não fizer sua parte e agir, os indígenas serão obrigados a fazer o trabalho que deveria  ser executado pela corporação policial. Os vereadores Walter Tertulino que preside a Comissão de Constituição e Justiça da Casa, além dos vereadores Gerson Manhuari, Raimundo Santiago, Edileuza Viana, Jerson Mourão utilizaram-se do espaço para manifestarem-se em apoio aos que reclamam por falta de um trabalho eficiente das Policias Militar e Civil, e através dos mesmos Vereadores com coro dos presentes que se amontoavam na reunião foi reclamado sobre a onda de prisões arbitrarias com o único fito da pratica de extorsão e ainda a pratica de tortura que é modus operand de alguns policiais quando abordam pessoas independente do problema que estão causando. Lembraram os Vereadores que se acumulam na Câmara reclamações de toda sorte contra desvios de função de policiais, e que se os Vereadores diligenciam providências  às autoridades da cúpula da Segurança Pública estadual, é visando que esses vícios e maus costumes de se extorquir, agredir, ameaçar, fabricar flagrantes sejam banidos  de nosso convívio.

Usando a palavra o Presidente do Parlamento Vereador Raimundo Acelio de Aguiar, disse que  se deslocou à Belém acompanhado de todos seus pares que constituem o Poder Legislativo com a finalidade de peregrinarem nos corredores governamentais à procura de investimentos para o municipio, e um assunto que demandou mais tempo foi, entendimentos com o Secretario de Segurança Pública e Delegado Geral da Policia Civil concernente a atuação e desenvolvimento da ações policiais e disseminação de drogas no munícipio, e que decorrido sete meses do encontro pouco ou quase nada mudou em termos da deficiente segurança pública  e hoje disse o vereador, somos impactados por um assassinato que poderia ser prevenido se em plena madrugada, (contrariando legislação vigente no munícipio), em rondas, a polícia coibisse o funcionamento de bares e similares.

Foram praticamente quatro horas ininterruptas de reunião, e a cada instante, autoridades, indígenas e a população desnudando atitudes comportamentais de policiais tanto civil quanto militar que vulnerabilizam gloriosas instituições de proteção ao cidadão deixavam o clima da reunião mais tenso.

Com visível mal estar por tantas denúncias contra procedimentos indecorosos de policias e principalmente dos militares o Major-PM PEDRO PAULO DE OLIVEIRA COELHO, ainda no calor das discussões quando ainda haviam registros de mais pessoas para se manifestar, solicitou do mediador a palavra e apesar do campo adverso que se apresentava para o oficial, com muita habilidade, manifestando que as denúncias causariam também indignação em seus superiores hierárquicos garantiu que providencias enérgicas seriam adotadas, citando que a Corregedoria de Policia, encurtando distancias para coibir casos dessa natureza, estava  funcionando em Itaituba e instruiu os presentes a  formas e meios de qualquer pessoa se comunicar com a mesma.

Deve ser levado em consideração a atuação precisa, imperiosa e necessária do Oficial PM Maj PEDRO que com habilidade necessária, autoridade e muita propriedade, através de seus discursos e ponderações, jogando também a responsabilidade da segurança pública para os munícipes que devem denunciar, desvios de funções e tráficos de entorpecentes, para garantir  poder se garantir a atuação sempre decidida da Policia Militar.

Se comprometeu o oficial a substituir todo efetivo da PM naquele instante e apresentou o novo comandante do destacamento o Tenente Renato que lhe acompanhava e que de público lhe exigiu rigor no trato com a questão apresentada e que o Comando Geral da Policia Militar do Pará, não toleraria desvio de função de qualquer militar nem transigência com coisas erradas. Garantiu para o dia seguinte a entrada de uma guarnição com uma motocicleta para atividades de incursão a ramais e pequenos garimpos nas comunidades Garimpeiras de Porto Rico e S. José.  Fato a se ressaltar é que essa providencia de se garantir policiamento com transporte na região garimpeira, foi produto de uma reunião no Comando de Policiamento Regional (CPR-10) dos Vereadores Santiago e Tertulino, com o Comandante do CPR-10 Coronel Eder e o Major PEDRO. O Major hoje responde pelo Comando(CPR-10)

A atuação do comandante PM Maj PEDRO, que assumiu compromissos de mensalmente estar in-loco avaliando a evolução do trabalho policial coibindo desvios de função, foi fator importante também para que todos os ânimos exaltados fossem serenados, onde as partes ficaram satisfeitas.

Outra carta tirada da manga do oficial  que contentou os indígenas foi garantir que sua Excelência o Vice Governador Zequinha Marinho, recebesse em audiência  lideranças indígenas no decorrer da visita que aquela autoridade fara a Jacareacanga no próximo sábado.

No costume indígena quando em uma reunião tensa se resolvem pendengas e desmandos, ao se apresentar uma solução para que todos fiquem harmonizados fraternalmente, é regra geral os indígenas pintarem o rosto com suas características na pessoa que foi o fiel da balança do entendimento, como não tinha Jenipapo ou Uucum na ocasião um líder Indígena (Valdecy Waro) representando seus parentes, tirou do alto de sua cabeça um cocar e colocou sobre a cabeça do Major Pedro e como o indígena queria eternizar aquele momento solicitou ser fotografado, e revelando cumplicidade com a questão indígena, o militar pegou sua cobertura e colocou na cabeça do líder indígena que sorridente  mostrava-se agradecido, denotando que não é difícil o entendimento com os Munduruku, quando esse ser humano de cultura diferenciada da nossa, é tratado com o tempero da justiça, igualdade e do respeito.

Nenhum comentário: