RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

segunda-feira, 2 de março de 2015

Justiça nega Habeas Corpus a PMs em process


Três policiais acusados de desviar ilegalmente viaturas da Policia Militar do Pará tiveram o pedido de Trancamento de Ação Penal negado nesta segunda-feira (2), durante sessão das Câmaras Criminais Reunidas do Tribunal de Justiça do Pará. A defesa do tenente coronel Alexandre Marcarenhas, do major Wagnar Wanderley e da Major Marycélia Rodrigues alegou não haver indícios de autoria e materialidade  do crime, mas teve a ação negada.

Cada pedido foi analisado por uma relatoria, e todos sustentaram que uma ação penal só pode ser trancada por meio de Habeas Corpus quando há e ausência de indícios de autoria, o que não é o caso dos PMS, porque a denúncia feita pelo Ministério Público narra o delito e contém elementos que comprovam a conduta dos policiais.

Os policiais são acusados de desviar viaturas para uma quadrilha interestadual que comercializava os veículos. Na Policia Militar constava que as viaturas eram doadas a instituições filantrópicas. Segundo o processo, 20 policiais estão envolvidos na fraude e os prejuízos chegam a R$ 15 milhões.

(DOL com informações do TJPA)

Nenhum comentário: