RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

sábado, 24 de maio de 2014

A POLICIA DE JATENE - TRUCULÊNCIA

PARÁ – Diante da PM, cadeia é a melhor opção

Imagem do vídeo que registrou a brutal e covarde agressão da PM.
 
        Pelo menos para os desvalidos, no Pará do governador Simão Jatene, apesar de todas as ignomínias impostas pelo sistema carcerário, a prisão pode ser a opção mais segura, diante da escalada da truculência policial, tão execrável quanto a brutalidade da criminalidade. Esta é a conclusão na qual fatalmente se desemboca, no rastro do drama de Alex Ferreira Sales, identificado como a vítima do gratuito e covarde espancamento perpetrado por três PMs, na rua Henrique Gurjão, bairro do Reduto, a 27 de abril passado, em episódio registrado em vídeo por um morador. Segundo a versão oficial, Sales cumpre pena por roubo qualificado e se encontrava em liberdade provisória, para tratamento de saúde, mas tratou de retornar ao presídio metropolitano 2, em Marituba, após ser despejado na praça Magalhães pelos PMs que recolheram-no na viatura policial com inominável violência. Depois disso, ele desapareceu, aparentemente sem deixar vestígios, suscitando a suspeita de ter sido morto pelos policiais militares que agrediram-no – o soldado Jhonatan Miranda e os cabos Luis Silva e Alfredo Correa.
        "Ele (Alex Ferreira Sales) foi chamado para prestar depoimento e confirma a agressão dos PMs”, afirmou ao G1, o portal de notícias da Globo, o promotor militar Armando Brasil Teixeira, em uma declaração pleonástica, diante do vídeo que registra o episódio. O promotor militar assinalou, na ocasião, que Sales reconheceu, como seus agressores, o soldado Jhonatan Miranda e os cabos Luis Silva e Alfredo Correa. E assinalou que os PMs, por sua vez,reconheceram Sales como a vítima do brutal e covarde espancamento. "Ele diz que foi agredido sem motivação justa, mostrou o ferimento da perna provocado pelo golpe do fechamento do porta-mala do carro e também reconheceu o local em que foi preso e a praça em que foi liberado", acrescenta Armando Brasil Teixeira. Durante o depoimento, Sales também revelou que os agentes não informaram sua detenção, via rádio, ao Centro Integrado de Operações, observou ainda o promotor militar. “É complicado, porque ele é usuário de drogas”, declarou complementarmente Armando Brasil Teixeira, ao comentar as eventuais lacunas no relato da vítima dos três PMs. O acréscimo do promotor militar soa algo capcioso, porque omite a irrelevância das eventuais lacunas registradas no depoimento de Sales, diante das evidências do comportamento criminoso dos três PMs.
_____

3 comentários:

ronaldo silva disse...

É louvável a observação de vocês ao criticar tal comportamento de determinados policiais militares, e não louvável a conduta que tomam em relação às criticas impostas a todos os policiais, quando dizem: "a polícia do Jatene" em um claro manisfesto político e não em relação a um compromisso com a sociedade. Fico decepcionado ao ler tamanha inteligência postada pelos senhores e ao mesmo tempo palavras "pelegas" que ficam sem nexo ao defender a ideologia de vocês e não de uma conduta melhor dos policiais. Parabenizo sim os senhores ao mostrar pra sociedade uma postura de indignação em relação a agressão gratuita, já que deve existir tipos de agressões valiosas, ou seja paga. Senhores sou policial e digo com toda a certeza que nós que fazemos parte do lado bom da polícia não aceitamos este tipo de comportamento, existem sim e são muitos os policiais que trabalham de maneira correta e que são execrados por esta sociedade medíocre que só cobram, cobram e cobram, porém são mais errados que os próprios bandidos fardados como vocês afirmam, quem nunca desta sociedade deixou de devolver um troco a mais dado de maneira errada, quem nunca deixou de pagar suas contas em dia, quem nunca ofereceu vantagens a servidores públicos em proveito próprio, quem nunca fez algo errado que atire a primeira bala. Toda Sociedade tem a polícia que merece.

Anônimo disse...

A policia não é do Jatene e sim do estado, esse policias fizeram concurso e curso preparatórios para está onde estão, que os culpados assumam as merdas que fazem, nesse caso jatene não tem nada haver.

Anônimo disse...

Não existe polícia de Jatene. No Brasil inteiro, o comportamento da polícia é sempre o mesmo. Aqui em Recife, um rapaz bastante jovem foi preso, chamou os policiais de filhos da puta, mijou no computador da delegacia, ameaçou todo mundo e ninguém fez nada. Motivo: ele alegou que era filho de um promotor. Quando a polícia aborda um pobre de periferia, o tratamento é tapa na cara e chute nos ovos.