RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Melgaço, no Pará, é o pior em IDH

O município de São Caetano do Sul, no ABC paulista, tem o melhor Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) do país, mostra estudo divulgado nesta segunda-feira (29) pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) intitulado "Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013". Os dados do estudo indicam ainda que o município com a pior avaliação é Melgaço, no Pará. Além de Melgaço, outras doze cidades paraenses (Chaves, Bagre, Cachoeira do Piriá, Portel, Anajás, Ipixuna do Pará, Afuá, Curralinho, Nova Esperança do Piriá, Porto de Moz, Breves, e Jacareacanga), estão na lista com os piores índices de IHD.

O IDH mede o nível de desenvolvimento humano de determinada região. É a terceira vez que o órgão da ONU realiza o levantamento sobre a situação nos municípios do país – outras duas edições da pesquisa foram divulgadas em 1998 e 2003.

No atlas de 2013, o IDH foi calculado com base nos dados do censo demográfico de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No atlas de 2003, as informações são as do censo de 2000, e, para 1998, a base de dados foi a de 1991. No entanto, neste ano, o Pnud mudou os critérios de aferição do índice, e atualizou os dados dessas duas pesquisas anteriores com base nesses novos critérios (leia aqui sobre a nova metodologia).

O IDH dos municípios vai de 0 a 1: quanto mais próximo de zero, pior o desenvolvimento humano; quanto mais próximo de um, melhor. O índice considera indicadores de longevidade (saúde), renda e educação.
Melhor IDHM do país, São Caetano, com 149.263 habitantes segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, tem índice de 0,862 e está entre os 44 municípios do país a registrar desenvolvimento humano "muito alto" (acima de 0,800). A cidade, que faz divisa com a capital paulista, teve também o melhor IDHM em 2003 e em 1998. O segundo melhor IDHM do país é o de Águas de São Pedro (SP) e o terceiro, o de Florianópolis, capital de Santa Catarina.

Considerando conjuntamente os dados de toda a população do país, o IDHM do Brasil é de 0,727, considerado "alto" (entre 0,700 e 0,799).

Das 50 cidades melhores colocadas no ranking nacional, 28 são do estado de São Paulo – veja na tabela acima a lista dos 50 melhores índices do país.

Piores IDHM
Na última posição no ranking do IDHM está a cidade de Melgaço, no Pará, que obteve índice de 0,418 e registra "muito baixo" desenvolvimento humano. Com 24.808 habitantes segundo o IBGE, fica situada a 290 quilômetros da capital Belém – a única entrada da cidade é por via fluvial.

Embora na última colocação, Melgaço registrou evolução positiva de 136% em relação ao índice divulgado em 1998. Na ocasião, o IDHM do município foi de 0,177. Em relação a 2003, a evolução foi de 60,7% – na ocasião, o índice de Melgaço era de 0,260.

Entre os 50 municípios com pior IDHM no Brasil, todos são do Norte e do Nordeste.


Das 5.565 cidades avaliadas pelo Pnud, só 44 (0,7%) têm índices muito altos de desenvolvimento humano. Na outra ponta, outros 32 municípios (0,5%) têm índices considerados muito baixos.

Ao todo, 1.889 cidades têm IDHM alto (33,9%), outras 2.233 registram índices médios (40,1%) e 1.367 municípios têm IDHM baixo (24,5%) – veja abaixo a lista dos 50 piores índices do país.
Evolução no IDH
Considerando as 50 cidades do país com melhor IDH, três saltaram entre 2003 e 2013 da classificação de "médio desenvolvimento humano" para "muito alto desenvolvimento humano": Nova Lima (MG), que registra 0,813 no IDHM, Rio Fortuna (SC), com IDHM de 0,806, e Rio do Sul (SC), que obteve índice de 0,802.

Entre os 50 municípios com pior IDHM, todos registraram evolução positiva no índice, embora permaneçam nas mesmas últimas colocações em relação aos levantamentos anteriores.

A cidade com pior IDHM em 1998, Caraúbas do Piauí (PI), tinha há 15 anos índice de 0,121, considerado muito baixo. No levantamento deste ano passou para 0,505 e mudou a classificação para baixo. No entanto, ainda continua entre os 50 piores índices do país.

Em 2003, o pior IDHM foi registrado em Aroeiras do Itaim (PI), com índice de 0,208. No levantamento de 2013, a cidade passou de muito baixo desenvolvimento para baixo desenvolvimento e obteve IDHM de 0,519. Com isso, Aroeiras do Itaim deixou de figurar entre os 50 piores índices. (G1)

Nenhum comentário: