RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Divisão do Pará racha bancada paraense no Congresso a cinco meses de plebiscito

Guilherme Balza/Do UOL Notícias
No que depender da disposição da bancada paraense no Congresso, a disputa em torno da divisão do Pará em três novas unidades federativas -Pará (remanescente), Carajás e Tapajós- promete ser acirrada. Os eleitores paraenses serão consultados sobre a divisão em plebiscito marcado para 11 de dezembro, mas a campanha eleitoral, que inclui horário político e financiamento público, começa a menos de dois meses, em 13 de setembro.

Em geral, os favoráveis à divisão argumentam que o poder público estará mais presente e citam os exemplos de Tocantins e Mato Grosso do Sul. Os contrários afirmam que os custos para a manutenção não compensam a criação do Estados.

O UOL Notícias fez um levantamento junto aos deputados federais e senadores do Pará e constatou que não há uma posição hegemônica sobre a divisão. Dos 17 deputados que compõem a bancada do Estado na Câmara, sete são contra a divisão, cinco a favor e cinco ou ficarão neutros até o plebiscito ou ainda não definiram posição (veja a tabela no final do texto).

Dos três eleitos que não assumiram suas vagas de deputados porque ocupam cargos no governo de Simão Jatene (PSDB), dois são contra a divisão -Zenaldo Coutinho e Nilson Pinto (ambos do PSDB)- e um é a favor -Asdrúbal Bentes (PMDB).

Juntos, os deputados contrários à divisão receberam, na última eleição, 1,36 milhão de votos, contra 542 mil dos parlamentares favoráveis à criação de Carajás e Tapajós. Já os deputados que não se posicionaram tiveram, no total, 580 mil votos.

Supondo que se os eleitores sigam as posições dos seus candidatos, a divisão provavelmente seria rejeitada no plebiscito, ainda que os eleitores dos deputados neutros votem a favor da separação.

5 comentários:

Anônimo disse...

Veja no blog do Colares, os deputados Zenaldo e Edimilson fazem campanha

com baixaria e mentiras contra a emancipação do Estado do Tapajós.

Anônimo disse...

A questão é: Porque a região de Belém não quer a emancipação do Estado do Tapajós, porque esse já existe de fato, só falta ser emancipado. A resposta é: porque o Estado do Tapajós dá lucros a região de Belém. Se não desse lucro, eles seriam os primeiros a quererem se livrar desta região. Então senhores deputados do contra, esse discurso que o Estado do Tapajós não terá desenvolvimento, é mentiroso. O Estado do Tapajós tem um futuro brilhante pela frente.

Anônimo disse...

TRÊS ESTADOS VALEM MAIS QUE UM.
Quem só tem a ganhar com a criação de novos estados na região do Pará, é o próprio Pará remanescente, quem terá um PIB maior com uma população produtiva maior. Serão 3 estados que deverão receber mais investimentos do governo federal. Terão mais força para reivindicar mais recursos. Os três sairão ganhando. Se permanecer como está, os três vão afundar juntos e cair no esquecimento dos políticos de Brasília.

Anônimo disse...

Mais 2 deputados do Pará aderem o SIM pela emancipação;

Foi um ato público histórico! E o hino lançado por Duda Mendonça para embalar a campanha do SIM ficou sensacional.Puxa pela emoção de qualquer paraense e orienta o discurso geral que precisamos fazer em todo o Estado para ganhar esse plebiscito.
Mais dois deputados do PT aderiram à campanha do SIM: Valdir Ganzer (estadual) Zé Geraldo (Federal).


DUDA MENDONÇA foi enfático em citar que a campanha deverá adotar o termo de multiplicação para três Estados, e não uma divisão. Com poucas palavras, frisou que o correto é provar à região metropolitana de Belém que o Pará remanescente se desenvolverá mais ainda após a criação destes novos Estados.

Anônimo disse...

Conheça o jingle da campanha Pró-Tapajós-Carajás
Um dia todo filho cresce, não tem jeito não.

Um dia chega a hora da emancipação.
Cada um segue seu rumo,
Segue seu destino,
Escolhe seu caminho,
Sua direção.
Mas sempre serão como uma família,
Pois fazem parte de um só coração
E vão crescer um ajudando o outro
Sem nunca esquecer: são todos irmãos.



Chegou a hora da grande mudança
E o Pará tem pressa, não pode esperar
Chegou a hora desse grande salto,
De dividir para multiplicar.
Chegou a hora de ficar mais forte
De fazer justiça e vencer muito mais
Queremos sim essa esperança chamada Tapajós e Carajás.



Diga sim para mais segurança,
Para mais saúde,
Mais educação.
Diga sim para os três estados,
Diga sim para essa união,
Diga sim para esperança,
Diga sim para viver em paz,
Diga sim para o Tapajós,
Diga sim para o Carajás.


2ª parte
Mato-grosso e Goiás exemplos que não podemos esquecer
Em quatro estados se dividiram e não param de crescer.



Chegou a hora da grande mudança
E o Pará tem pressa não pode esperar
Chegou a hora desse grande salto,
De dividir para multiplicar.
Chegou a hora de ficar mais forte
De fazer justiça e vencer muito mais
Queremos sim essa esperança chamada Tapajós e Carajás.

Diga sim para o Tapajós,
Diga sim para o Carajás.