RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

quinta-feira, 16 de junho de 2011

A ASSEMBLEIA DOS ROEDORES

O RATO DE CHAPÉU
(*)Francisco Amaral

Na terra dos pedregulhos (pedras miúdas), com a intenção de se apossar de um grandioso queijo, um rato que se dizia poderoso por sua fama de malvado, conseguiu reunir diversos tipos de sua espécie e disse:

- É uma verdadeira injustiça nós vermos aquele enorme queijo naquela bandeja e não podermos dividir em partes iguais para que todos possam comer um pedaço. Eu proponho que nos unamos para combater aquele gato que se encontra de vigia!

Após o discurso democrático, a maioria dos ratos que já conhecia a fama do malvado não aceitou acompanhá-lo, mas outros menos avisados não pensaram duas vezes e toparam vestir a camisa da divisão do queijo. Ratos grandes e pequenos, pretos e brancos, velhos e jovens, fortes e fracos, do campo e da cidade aderiram à ideologia. Ninguém ligava para as diferenças existentes no grupo, porque todos estavam irmanados em torno de um sonho comum: um queijo enorme, amarelo, cheiroso, bem pertinho dos seus narizes. Comer um pedaço do queijo seria a suprema felicidade...

Mas o gato robusto e bem nutrido, de olhar tranqüilo, praticamente não dormia, vigiava o queijo que o dono, de vez em quando, retirava um pedaço para o consumo da família.

Apesar de não aparentar, o gato era pintado pelo rato líder como o mais malvado dos animais, o que fez com que os ratos passassem a odiar o gato. Quanto mais o odiavam mais irmãos se sentiam. O ódio a um inimigo comum os tornava cúmplices de um mesmo desejo: queriam que o gato sumisse para que o Rato de Chapéu administrasse a divisão do queijo.

Como o gato era cada vez mais estimado pelo dono do queijo, o rato malvado contratou uns cachorros para expulsarem o gato de perto do queijo. O aparecimento dos cachorros preocupou o dono do queijo já que os mesmos podiam afastar o gato da vigilância. O que o dono temia aconteceu. Numa bela manhã, os cachorros conseguiram afastar o gato do queijo.

Chegara o dia glorioso, e todos se lançaram ao queijo numa fome comum. Mas ao ver o queijo e a imensa quantidade de ratos famintos, o rato malvado revelou sua verdadeira intenção: Sentou em frente ao queijo e passou a dividi-lo: Um pedaço para a filha, outro para outra filha, outro para o cunhado, uma fatia para os camundongos que sabiam da armação e, assim foi fazendo a divisão, chegando a pegar alguns ratos para lhe ajudarem na administração do queijo. Mas, a maioria que chegou a pensar que lutava por uma causa nobre e justa, ficou de fora e revoltada. O Gato de Chapéu os teria enganado e todos estavam condenados a apenas ouvir falar do queijo, sem poderem se quer ver, muito menos provar.

OBSERVAÇÃO: Qualquer semelhança é mera coincidência.
---------
Remendo RP
1-O conto publicado no Blog do Amaral,  é um verdadeiro conto de fodas e está sendo encenado por aí, não precisa  queimar neurônios  para se ver o retrato fiel desenhdo às proximidades.

2 - O titulo "Assembleia dos Roedores" e ilustração (RP)

Nenhum comentário: