RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

quarta-feira, 25 de maio de 2011

VALMIR CONTESTARÁ AVALIAÇÃO DE SEUS BENS QUE IRÃO À PRAÇA AMANHÃ NA JUSTIÇA DO TRABALHO

25 Maio 2011


JUSTIÇA DO TRABALHO

Valmir quer contestar avaliação de seu patrimônio

VALMIR quer constestar valores
O empresário e atual prefeito de Itaituba, Valmir Climaco de Aguiar, deve entrar na justiça contestando a avaliação de seus imóveis que irão a praça de leilão na manhã desta quinta feira (26) para pagar a dívida trabalhista no valor de R$ 1.900.000,00 (Um Milhão e Novecentos Mil Reais) para o seu ex funcionário  Ronaldo da Silva Sousa, que se encontra há 12 anos prostrado em uma cadeira de rodas, vítima de um acidente de trabalho ocorrido no dia 29 de setembro de 1999, quando Ronaldo trabalhava na extração de madeira para a Madeireira Climaco Indústria e Comércio Ltda, de propriedade de Valmir.
Quanto a Praça de Leilão que ocorrer já na manhã deste dia 26 (amanhã), os causídicos da Advocacia José Antunes, que representa o condenado, disseram seu cliente tem até cinco dias após o arremate para contesta a avaliação do patrimônio em questão.
José Antunes disse que, de acordo com a avaliação feita por uma empresa especializada no assunto, o valor da sentença é muito inferior ao valor real do patrimônio que vai a praça de leilão. Para o engenheiro Marcos Ronaldo e a empresa Primo Projetos, responsável pela avaliação a pedido dos advogados de Valmir Climaco, na avaliação da justiça não foram considerados o patrimônio existente nos terrenos a serem leiloados, que junto pode somar a quantia de quase 10 milhões de reais. LEIA MAIS...
-------
Remendo RP
A estrutura de assessoria Jurídica do Escritório do renomado Advogado Antunes estará dando suporte à contestação dos valores de avaliação dos imóveis, que alardeiam que referidos imóveis somam o estratosférico montante de R$ 10.000.000,00. É fácil pressupor que o jogo de encenação jurídica protagonizado por Antunes e equipe, quer unicamente protelar o procedimento de levar à praça o imóvel colocado em disponibilidade para pagar divida trabalhista. Enquanto Climaco quer protelar, superestimando o valor de seu bem patrimonial, o reclamante paraplégico que vive de favores terá que esperar mais um pouco para a justiça ser feita.

Tenho conhecimento que a área  que congrega as benfeitorias da serraria e escritório da Madeireira Climaco foi comprada por Valmir, do Senhor Jesus Tertulino por suaves prestações que totalizaram R$ 45.000,00 e decorrido alguns anos, com valores sendo agregados como a construção de estruturas de serraria, hoje Valmir contesta o  valor de R$ 1.900.000,00 avaliado pela justiça, dizendo que vale mais de R$ 10.000.000,00. Nem Palocci ousaria tanto


Um perguntinha impertinente cabe para ser respondida por Antunes & Cia.
Onde será encontrado embasamento legal para a contestação?
Protelar por protelar não existe doutores. O Negócio é pagar pra não perder. Quem tem um bem que vale 10 milhões, da bem para levantar uma grana pra pagar 1.900.000,00

Nenhum comentário: