RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

quinta-feira, 26 de maio de 2011

JÁDER BARBALHO: canalha, sem-vergonha, safado, chantagista, corrupto e ladrão

Um safado e sua safadeza
Me inteirando das novidades e noticias na Net deparei-me lendo o Blog de meu amigo Neymias Cordeiro de uma matéria de Rômulo Maiorana  que retrata  guerra aberta contra Jáder Barbalho. Após algumas ilustrações para melhor interesse dos leitores  faço a postagem para que saibamos o que não sabiamos a respeito do contestado politico Jader. Antes da declaração de Maiorana ja era de conhecimento publico ações judiciais  que dispõe sobre falcatruas no Banpará, Sudam.

MAIORAXA vs MAIORANA  E A AÇÃO NEFASTA E NOCIVA DO CÂNCER DA POLÍTICA PARAENSE E NACIONAL
Ontem, mais uma vez, fui vítima de uma imprensa vagabunda, cujo dono é por todos conhecido: um 'ficha-suja', canalha, sem-vergonha, safado, chantagista, corrupto e ladrão teve a audácia de colocar meu nome em estórias que desrespeitam o próprio Judiciário Federal, inventando que culpei meu irmão Ronaldo por atos praticados numa indústria de sucos, até porque ele não fez nada de errado. A indústria detém a liderança do mercado, gera 250 empregos diretos e 150 indiretos, paga seus impostos em dia e tem a União devendo 70% do projeto.

Invoco o testemunho do nobre juiz federal Antonio Carlos Campelo para provar que em nenhum momento fiz qualquer tipo de acusação contra meu irmão Ronaldo, a quem defendo com a própria vida, como toda a minha família. Tive o cuidado de alertar o nobre juiz de que a presença na sala de uma repórter da Rede de Corrupção da Amazônia - RCA - iria fazer com que fossem publicadas mentiras a meu respeito e sobre minha família. Não deu outra coisa.

FICHA SUJA SEM VERGONHA
O corrupto e seu grupo querem jogar a lama que produzem onde não existe lama. Dizem que meu pai era contrabandista. Ora, se ele foi contrabandista, foi para dar comida a sete pessoas, a sua família, e não para tirar a comida de sete milhões de paraenses, como faz esse ficha suja sem-vergonha, que vive hoje mendigando um mandato que levou fora do pleito, sem ter condições morais e legais de participar. Respeite os mortos! Respeite meu pai que, quando vivo, quase todo dia o recebia e ao seu pai pedindo dinheiro ou pedindo para trocar cheques, que tenho guardados até hoje. Sem fundos, é claro. Esse safado e seu jornal vagabundo se dizem o “jornal da família paraense”, mas não respeitam as famílias. Nós sempre respeitamos as famílias do Pará, inclusive a desse corrupto.

O enterro de meu pai Romulo Maiorana foi o maior que o Estado já viu. Nem o do general Barata foi igual ao dele. Mas o seu, 'ficha-suja', certamente será a 'solidão dos crápulas'. Não terá nem a presença da meia dúzia de 'puxa-sacos' de sua companhia pois terão vergonha da posteridade. Tenho dez processos contra esse crápula e seu jornal na Justiça do Pará, que não conseguem andar. Um deles, no Tribunal de Justiça do Estado, já recebeu a suspeição de cinco desembargadores. Vou acabar tendo que levá-lo para o Amapá ou o Maranhão para poder conseguir justiça.

LAVAGEM DE DINHEIRO NA VENDA DE JORNAIS DE JADER BARBALHO
Nós de O Liberal não usamos a venda de jornal para lavar dinheiro. Não usamos também a venda de classificados para lavar dinheiro. Vivemos de vender jornal e classificados; esse é o nosso negócio. Tudo o que nós temos está no Imposto de Renda. Não é como a empresa dele, a Rede de Corrupção da Amazônia, que não tem conta-corrente em bancos, utiliza empresas de factoring de outros estados para manobrar suas operações com dinheiro vivo e paga funcionários com assessorias em cargos públicos, ou através de permutas tiradas à força ou chantageando o empresariado. Não temos emissoras ancoradas em contratos de gaveta, como ele fez com a família Pereira, em Santarém, que vai perder a retransmissora da Rede Globo na região por causa das tramoias dele.

O ex-governador Hélio Gueiros, quando no poder, me revelou que tinha documentos comprovando que a RCA fora comprada ao empresário Jair Bernardino por 13 milhões de dólares. Como é que pode, um homem que vivia na porta do meu pai pedindo dinheiro ou trocando cheques e, dois mandatos depois, compra uma emissora de televisão por US$ 13 milhões? Não há Receita Federal que aguente!

JÁDER SE CALA SOBRE ROUBALHEIRA NA ALEPA E FICHAS SUJAS
Esse safado consegue colocar na rua diariamente o que existe de pior na imprensa, sem credibilidade. Tão sem credibilidade que manteve no expediente, durante dois anos, um editor-chefe morto, que era deputado - Carlos Vinagre - e gozava de imunidade. Até hoje, tem medo como o diabo da cruz de botar num título a palavra corrupção. É a marca do dono, claro, que não admite concorrentes. Para citar dois exemplos do 'jornalismo' da RCA, tem-se o silêncio sobre todo o processo de fichas-sujas e mais a roubalheira na Assembleia Legislativa. Tentam segurar uma CPI que fatalmente vai revelar que o dinheiro roubado foi utilizado na campanha do canalha para o Senado.

NÃO TENHO MEDO DE LADRÃO
Não tenho medo de ladrões, como ele, de seus roubos nem de seus arroubos. Ladrão nenhum, com tamanho rabo, vai conseguir me amedrontar, nem me intimidar com suas mentiras, com sua farsa impressa em cores todo dia. Se não fosse O Liberal combater a corrupção deste crápula, que há muito não tem cargos no Executivo de Belém ou do Estado, Ana Júlia, Jatene e Almir Gabriel não seriam governadores, porque estes cargos estariam todos ocupados por gente da Rede de Corrupção da Amazônia. Triste também é ver um governador do nível de Simão Jatene enchendo o seu governo com a canalhada que esse safado indica.

JÁDER BARBALHO - UM NOME QUE VIROU SINONIMO DE LADRÃO
Temos que acabar com esse câncer que tira dos paraenses o pouco de recursos que temos. Que a cada mandato aumenta o seu patrimônio e debocha de nosso suor, de nossas famílias, de nossa honestidade, de nosso esforço para fazer do Pará rico de recursos um Estado digno de viver. Sem um nome que já virou sinônimo de ladrão.

Peço desculpas aos meus leitores pelos termos que tive que utilizar neste texto. Mas para tratar de gente desse tipo não existem outras palavras.

ROMULO MAIORANA JR.


3 comentários:

Anônimo disse...

Jáder não é apenas ladrão. É um escroque, mafioso, e provavelmente assassino. Além do roubo do jatinho do Iterpa, anos atrás, escândalo habilmente abafado, Paira sobre ele a forte suspeita de ter mandado sabotar o avião que caiu com o empresário Jair Bernardino a bordo, na época proprietário do jornal Diário do Pará. Jáder tinha interesse na compra do jornal e Jair não queria vendê-lo, o que aconteceu depois de sua trágica morte. Agora, de volta ao Senado depois de "molhar a mão" dos magistrados corruptos, temos a certeza de que o crime compensa e cadeia é para pobre. Como diria Bóris Casoy, isto é uma vergonha...

Anônimo disse...

Torço para que este ladrão, ordinário, serpente venenosa, canalha, e filho de pais que não assinaram pacto antenupcial morra na desgraça

Anônimo disse...

CENAS QUE GOSTARÍAMOS DE VER

O CASTIGO DE JÁDER

Jáder Barbalho morreu e foi para o inferno. Lá chegando, foi recebido por Satanás em pessoa.
-Doutor Jáder Barbalho! – falou o Capeta - Que prazer em recebê-lo no meu reino! O senhor foi em vida um sujeito safado, diabólico, ladrão, patife, traidor, corrupto, enfim, um ser detestável. Merece estar aqui; é um dos nossos. Seja bem-vindo, entre, entre...
-Obrigado... - balbuciou o ex-governador.
-Bem, Jáder, estou orgulhoso em hospedá-lo, mas saiba que está aqui para ser castigado, afinal de contas isto aqui é o Inferno, e eu tenho um nome a zelar. Mas, como você é uma pessoa especial, tão ilustre, e que tanto honrou a classe dos demônios, vou conceder-lhe um privilégio: terá o direito de escolher seu castigo. Acompanhe-me...
Belzebu levou Jáder a um corredor com várias portas e falou:
-Jáder, atrás de cada uma destas portas há um tipo de castigo. Vou deixá-lo à vontade para escolher o seu, aquele que você achar que vai sofrer menos. Feita a escolha, me chame, e mandarei aplicá-lo em você. Fique à vontade...
Satã se retirou, e Jáder começou a abrir as portas. Na primeira, vários diabinhos cozinhavam um pecador num caldeirão de água fervente. O infeliz berrava feito um louco. Na segunda, um diabo gigantesco espancava com um chicote um sujeito amarrado a um poste; na terceira, um demônio horrendo imobilizava um infeliz, enquanto outro chutava-lhe os testículos; em outra, um pobre coitado estava sendo assado no espeto, e assim por diante.
-Estou perdido, pensou o ex-senador. –Só castigos tenebrosos! E agora?
Já resignado, Jáder abre a última porta, e tem uma surpresa: Dá de cara com o ditador nazista Adolf Hitler enrabando a famosa atriz Marilyn Monroe. A belíssima loura rebolava e gemia, enquanto Hitler, babando de prazer, atolava em seu traseiro um cacete grosso e avantajado.
-Não é possível, pensou Jáder. Esse cara foi o maior criminoso que a humanidade já conheceu, e é esse o castigo que ele recebe? Comer uma mulher maravilhosa dessas? Ah, é esse o castigo que eu quero...
-Satanás, vem cá! – gritou Jáder.
- Pois não, Barbalho! Já escolheu?
-Sim, já escolhi. É aquele da última porta!
-Muito bem – falou o Demônio – assim será feito.
Satanás, então, chamou dois diabinhos e ordenou:
-Para este senhor aqui, o mesmo castigo da Marilyn Monroe!