RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

sexta-feira, 23 de abril de 2010

PETARDO DE EFEITO PROLONGADO EXPLODE EM SÃO JOSÉ E PORTO RICO E CAUSA VÍTIMAS

JACAREACANGA - Atendendo pedido de moradores da comunidade garimpeira de São José e Porto Rico, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara-CCJC de Vereadores de Jacareacanga, formada pelos vereadores Elias Freire, presidente, Carlos Augusto (Amazonas), relator e Acélio Aguiar (membro), além de representantes do Poder Executivo, como o secretário de administração Luiz Henrique, chefe de gabinete Francisco Vieira e alguns assessores, estiveram dia 21 (quarta), em São José para discutir com a comunidade local uma saída para o impasse criado com o fechamento pelo DNPM e Policia Federal do das atividades do Garimpo da Pimenteira de propriedade do garimpeiro Valdir Ferreira da Silva, localizada naquele comunidade.

De acordo com informações dos moradores, a crise econômica das comunidades garimpeiras de São José e Porto Rico, começou com a instalação da empresa de mineração denominada de Mineradora Ouro Roxo, onde um dos diretores é o empresário de Itaituba Dirceu Frederico.

Diante da CCJC os moradores manifestaram sua indignação pelo fechamento do Garimpo da Pimenteira e pela aquisição suspeita para não dizer fraudulenta do garimpo da Cooperativa Ouro Roxo. “Apenas uma dezena de pessoas fechou o negócio com o Dirceu, enquanto que mais de 200 associados só ficaram sabendo que não eram mais donos do garimpo, quando foram notificados pela Mineradora Ouro Roxo”, disse um garimpeiro que não quis se identificar. “Agora estão nos expulsando de nossos ‘barracos’, alegando que vão nos indenizar. É daqui que tiramos o nosso sustento, por isso vamos defender os nossos interesses”, declarou.

Uma das denuncias mais graves foi feita pelo morador conhecido como “Marcha Lenta” que que além do grande problema social que ocasionará pelo encerramento das atrividades do "Pimenteira" onde dezenas de associados ficarão à míngua com outras centenas de familiares é que encontra-se espalhado por toda a extensão das atividades da ação de mineração de Dirceu Frederico vasilhames de produtos quimicos de alto poder de ofensividade ao meio ambiente e ao genero humano, que trata-se entre outras substancias de Cianeto, por ocasiaão "Marcha Lenta" exibiu um vasilhame de plástico com capacidade para 50 litros, disse que a Mineradora Ouro Roxo estaria usando de forma indiscriminada e sem a devida cautela o CIANETO “Vejam o que a mineradora ouro roxo está deixando na nossa comunidade. Eles não estão trazendo nenhum desenvolvimento para a nossa comunidade. Estão trazendo doença, destruição do meio ambiente e morte. Vários animais já morreram por causa do cianeto”, disse ‘Marcha Lenta’ . “Pedimos socorro às autoridades. Não deixem acabarem com o que construímos em mais de 30 anos”, concluiu emocionado o velho garimpeiro.

Segundo os moradores da comunidade, já foram encontrados peixes, botos, cachorros e gado mortos às margens dos igarapés que cercam a comunidade. As imagens de fotos cedidas por moradores da comunidade à CCJC surpreenderam os parlamentares pela quantidade de embalagens que segundo os denunciantes, são de cianeto e que já foram usados na apuração do ouro. Uma das fotos sustenta a denúncia quando mostra algumas embalagens expostas criminosamente dentro do garimpo e que com as preciptações de chuvas na região, carream a substância química aos corregos e igarapés, de onde os garimpeiros fazem a captação de aguas para alimentação.

Além dos Organismos Estadual e Federal de Meio Ambiente, deveria vir à região verificar in-loco a situação do desastre ambiental que pode estar ocorrendo, é imperioso ser verificada pela Receita Federal os impostos relativo à mineração e produção de ouro da mineradora se estão sendo observadas as disposições legais de pagamento dos impostos, pois pelo que se comenta o recolhimento em favor do Municipio de Jacareacanga é irrisório, causando até gracejos.

No Brasil ainda, o Estado Democrático de Direito, se manifesta sempre através de suas instituições legais, mais comodamente em favor do grande afortunado economicamente, e desta vez seguiu a mesma linha, em defender uma atividade empresarial, que causa danos irreversiveis ao meio ambiente, excluindo do trabalho rústico, árduo mas digno centenas de familias que vivem economicamente da garimpagem na Pimenteira. O DNPM, Policia Federal e outros Órgãos onde a Mineradora bateu as portas, resolveram uma questão em favor de Dirceu Frederico e seus apaniguados, e uma pergunta insiste em não calar: -O que fizeram em favor dos garimpeiros que há trinta anos vivem jogados naquele espaço que Frederico transformou em lodaçal de suas vidas?

Toxicologia e Fisiopatologia

Sendo a exposição a cianetos na Natureza inevitável, muitos organismos vivos desenvolveram vias metabólicas que lhes permitem fazer a desintoxicação deste composto. No entanto, quando a quantidade de cianeto é superior àquela que os mecanismos naturais de desintoxicação são capazes de eliminar, as hipóteses de envenenamento por cianetos é muito elevada.

O cianeto é absorvido rapidamente pelo tracto respiratório quando inalado sob a forma de HCN e mais lentamente pelo tracto gastrointestinal aquando da ingestão de sais de cianeto (sais de sódio e potássio) e glicosídeos cianogénicos (amigdalósido e linamarósido, por exemplo); o envenenamento por contacto da pele com soluções concentradas de cianeto de sódio e de potássio também pode ocorrer, sendo a absorção mais lenta que a observada pela inalação. O cianeto, uma vez absorvido, distribui-se rapidamente pelos glóbulos vermelhos e pelos tecidos. A desintoxicação ocorre através da combinação do cianeto com o enxofre (S) para formar tiocianato. Esta combinação pode ocorrer por duas vias: enzimaticamente através de reacções catalisadas pela rodanase ou por uma segunda via, esta não enzimática, por combinação com a albumina. O tiocinato, composto menos tóxico, é eliminado por via renal tendo um tempo de semi-vida de eliminação de 2,5 dias em pacientes com função renal normal.

O cianeto tem como propriedade, uma elevada afinidade para os metais (daí a sua grande utilização na indústria de metais) formando com eles complexos. O cianeto absorvido vai formar complexos com catiões metálicos de centros activos de enzimas importantes, inibindo a sua função. O mecanismo que explica a toxicidade do cianeto envolve a inibição da cadeia respiratória mitocondrial. Este liga-se ao ferro no estado férrico (Fe3+) do citocromo oxidase mitocondrial (citocromo aa3), enzima que medeia a transferência de electrões para o oxigénio molecular, o último passo da fosforilação oxidativa. O bloqueio desta enzima interrompe, assim, a capacidade da célula usar o oxigénio, conduzindo a anoxia tecidular.Para além disso compromete o metabolismo da célula e a produção de ATP é drasticamente reduzida.

Esta incapacidade da célula para utilizar o oxigénio conduz ao aumento do metabolismo anaeróbio e ao rápido desenvolvimento de acidose láctea e hipóxia citotóxica. Uma vez que o cianeto não altera a capacidade da hemoglobina em transportar o oxigénio, uma quantidade suficiente de O2 é colocada à disposição dos tecidos mas este não pode ser utilizado. O sangue venoso é então oxigenado e adquire uma coloração tão vermelho vivo quanto o sangue arterial. A respiração é então estimulada pelas células quemorreceptoras como acontece quando a quantidade de oxigénio está diminuída. Inicialmente é observado um breve período de estimulação do CNS com hiperpneia e dor de cabeça, seguindo-se uma depressão que ocorre com hipóxia e morte por paragem respiratória.

Órgãos como o coração e o cérebro são particularmente afectados porque requerem muito ATP e têm uma capacidade limitada em suportar o seu défice. Uma vez interrompida a produção de ATP, o coração apenas é capaz de aguentar 3 minutos. Sendo assim, o cianeto pode causar morte por falha cardíaca ou respiratória.

O complexo ferro-cianeto é dissociável e rapidamente sofre ruptura tornando a desintoxicação possível através de mecanismos bioquímicos naturais, como já tinha sido referido, ou com terapia usando antídotos.

A ligação do cianeto a outros metais de enzimas catalíticas interfere com o metabolismo lipidico e do glicogénio, efeitos estes que são menos evidentes clinicamente em comparação com o dramático impacto do efeito do cianeto na respiração celular aeróbia.

Um comentário:

Antonio Sávio disse...

o APROVEITADOR E OPORTUNISTA DIRCEU AGORA ATORMENTANDO OS GARIMPEIROS DO OURO ROXO ATE UANDO ISSO VAI FICAR ASSIM?