RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

domingo, 27 de dezembro de 2009

MASSACRE DE BRASILEIROS NO SURINAME


27/12/2009 - 07h50Padre brasileiro fala em sete mortos em ataque no Suriname; números oficiais apontam 14 feridos
Do UOL Notícias*
Em São Paulo

O padre brasileiro José Vergílio, que comanda a rádio Katólica FM no Suriname, afirma que o número de mortos no ataque a brasileiros na noite de Natal na cidade de Albina (150 km de Paramaribo), ao norte do país, chega a sete. O padre esteve no local no sábado (26), de acordo com relato publicado no site da rádio.

Em entrevista ao canal de televisão Globo News, Vergílio confirmou os sete mortos e afirma que um bairro inteiro foi destruído. "Noventa e um brasileiros foram atendidos com ferimentos graves e com muitas fraturas", disse.
 

O número de mortos e feridos não foi confirmado oficialmente, mas a Embaixada do Brasil no Suriname afirma que
 deve divulgar neste domingo a lista dos brasileiros atacados. O último número confirmado é de 14 feridos, sete em estado grave.

Uma vítima do ataque
 afirmou à Folha Online que ao menos quatro pessoas teriam morrido na ação. 

Moradores locais teriam atacado com facões e machados cerca de 80 brasileiros, além de chineses, que vivem na cidade. Os surinameses supostamente teriam também estuprado mulheres e ferido uma grávida, que perdeu o bebê.
 


O incidente foi motivado por um crime supostamente cometido por um brasileiro. "Pareciam uns animais partindo pra cima do povo. Cena de guerra. Era pedrada, facada. Vi gente com o rosto todo cortado. Prenderam algumas pessoas em salas do hotelzinho, despejaram gasolina e atearam fogo", contou Regiane Carneiro de Oliveira, 26, ao jornal "Folha de S.Paulo". A mulher se salvou pulando no rio, e das águas viu os surinameses atacarem os companheiros.
Albina, uma cidade com cerca de 5.000 moradores, é o principal ponto de cruzamento do Suriname para a Guiana Francesa. Os brasileiros que vivem em Albina trabalham, principalmente, no garimpo de ouro e estavam acampados à beira de um rio. Essa atividade gera tensão entre brasileiro e surinameses, incluindo ameríndios, que enfrentam uma alta taxa de desemprego, e também quilombolas, chamados de "marrons", que dominam politicamente a região fronteiriça, segundo o embaixador no Suriname, José Luiz Machado e Costa.

Segundo o embaixador, os brasileiros que estavam na região foram levados pelas autoridades do Suriname para a capital Paramaribo.

Segundo o diplomata, os brasileiros estão agora hospedados em dois hotéis na capital surinamesa. O exército surinamês disse que quase cem brasileiros e chineses foram levados a uma base local das Forças Armadas para protegê-los e, na sexta-feira, foram transportados à capital do país.
 

O governo brasileiro deve enviar um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) para o país, informou neste domingo o Ministério das Relações Exteriores (Itamaraty), mas ainda não há horário definido para a missão.
 

*Com informações da Folha Online, da Reuters e da BBC Brasil

Um comentário:

josiane de vilhena disse...

O governo Brasileiro tem sangue de barata, pois sabem que ja faz muitos anos que os Brasileiros sao humilhados maltratados tanto em suriname como em outros paises , e ninguem faz nada, e quando eles vem ao Brasil so falta colocar o tapete vermelho, o pais que nao valoriza o seu povo, porque os outros vao respeitar !