RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

JACAREACANGA; MANIFESTAÇÃO DE CIVISMO

SEMANA DA PÁTRIA COMEMORADA

Jacareacanga – Um dos fatos mais importantes de nosso País, a semana da pátria foi comemorada neste dia (7) pelas escolas do município em toda sua extensão, desde a sede, passando pelas comunidades garimpeiras até Aldeias Indígenas. Estima-se que mais de 5 mil estudantes desfilaram nessa manifestação de civismo e amor pela Pátria Brasil.


Na Sede do município, cerca de 450 crianças, da Escola de Educação Infantil Irene Brelaz abriram o desfile. Fundada em 1993 no primeiro mandato do Prefeito Raulien Queiróz a escola distribuída na avenida em 18 pelotões mostrou a evolução histórica do Brasil, transmitindo mensagem de apelo à preservação do meio ambiente.

Um dos destaques do desfile a Escola EStadual "Brigadeiro Haroldo Coimbra Veloso" surpreendeu pela organização. A Escola foi fundada em 1953 é a mais tradicional das escolas do alto Tapajós, por sua história que está inserida na própria história do Brasil. Nos anais da história está contida "que a mesma foi criada em 1953 para educar os filhos dos funcionários da FAB, que era a mantenedora dos custeios para que funcionasse". Depois da revolução em que o vulto histórico muito festejado no município Haroldo Veloso e demais revoltosos foram presos e os funcionários da FAB retornaram aos seus locais de origem, a única estrutura de educação foi entregue à mestra Jacareacanguense Maria Emilia para que prosseguisse no mister de educar. Maria Emilia no inicio da década de 60 recebeu apoio da FAG (Fundação de Assistência ao Garimpeiro) que edificou a estrutura fisica em alvenaria.


Por heroísmo como revoltoso, no desbravamento da região, lutando por ideais republicanos, o Brigadeiro-do-Ar Haroldo Coimbra Veloso deu nome a Escola, ainda em vida. Haroldo Veloso em 1.968 foi ferido na cidade de Santarém envolvido em movimento político-partidário para dar posse na prefeitura a Elias Pinto; tempos depois morreu, em conseqüência dos ferimentos recebido, onde morreram alguns companheiros mocorongos, Brechó, Banana, Cujubinha.

Hoje a Escola Estadual Haroldo Veloso, considerando a demanda está funcionando com novas instalações deixando registrado na historia que o ideal da construção para educar os filhos dos "Fabianos" está tendo prosseguimento educando verdadeiramente o povo de Jacareacanga e de outros núcleos humanos da região. A Escola é constituída de uma diretoria, uma secretaria, um laboratório de informática, uma sala de professores, seis salas de aulas, uma cozinha, quatro banheiros e uma dispensa.

Por estar passando por algumas dificuldades, como falta de material permanente, de limpeza e recursos humanos principalmente na falta de professores, a diretora Edna Ferreira registra que o Gestor Municipal Raulien Queiróz, tem contribuído para reverter esses problemas mesmo o sistema educacional da escola sendo estadualizado.

Colaboração: Paulo Figueira

2 comentários:

Anônimo disse...

Amigo Walter, me permita uma correção! Lembro-me vagamente do episódio em que se envolveu o Brigadeiro Haroldo Veloso, em Santarém. Na época, eu ainda criança, acompanhei o nervosismo de minha mãe devido a participação de meu pai no evento.
Lembro-lhe que o senhor Herculano Filho, vulgo "Brécho" (foi quem convidou e levou o meu pai ao movimento), não faleceu na ocasião. Foi apenas atingido por uma bala de fuzíl, que alojou-se em uma de suas coxas.
Ainda no inicio deste ano de 2009, estive em Santarém, e, visitando o nosso querido bairro de Aparecida, passando em frente a casa do "seu Brécho", o vi.
Espero estar colaborando para esse seu importante registro da história da nossa região.
Um grande abraço

Adilson Araújo

Anônimo disse...

Caro colega Walter:

Estou felicíssimo ao deparar-me com uma matéria tão bem elaborada como esta. Oxalá, tivessemos mais blogs com conteúdos pesquisados como encontramos no rastilho. Quando nós enquanto imprensa,envergonhamo-nos de alguns "blogs" por aí espalhados ao limbo.Entretanto,continuarei aqui na torcida do seu sucesso, pois necessitamos de informações precavidas da verdade.
Mais eufórico fico, quando encontro meu nome como colaborador deste obrigatoriamente jornal cibérnético meu de cada dia.


abraços


Paulo Figueira
Corresponente do Jornal de Santarém em Jacareacanga