RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

sexta-feira, 13 de março de 2009

FOGO AMIGO (Muy amigo!)

Jacareacanga - Mesmo que discretamente, pessoas relacionadas ao ex-prefeito de Jacareacanga Carlos Veiga se reuniram na primeira quinzena de fevereiro na residência do Senhor Benezão, para avaliar o pós-guerra eleitoral, e tentarem chegar a um objetivo comum, que era unir forças fim se prepararem para nova eleição em Jacareacanga, segundo, certeza advinda provavelmente do além, ditada, por causídicos aventureiros e ávidos por grana.
Fizeram parte da reunião, o anfitrião Benezão, Marlucio Castro, Paulo Figueira, Ana Galvão, Zezinho e esposa entre outros, que de forma descontraída, se alegravam na certeza que lhes deram o “capo” que uma nova eleição seria realizada, contrariando todo um sistema já definido pela justiça eleitoral em Jacareacanga.

No calor das discussões, ocorreu por parte do Senhor Zezinho (radio) um verdadeiro “linchamento moral” sobre o ex-prefeito, que segundo comentou abandonou e “sacaneou” o povo de Jacareacanga, e ainda consigo mesmo, e com todos que estavam participando da reunião; falou ainda Zezinho que em nova eleição Carlos Veiga não poderia concorrer, e para otimizar e tornar mais célere as providencias da reunião era imperioso e necessário indicar uma pessoa entre os presentes para segurar a “barra” de se candidatar ao cargo de prefeito, e depois de alguns instantes de murmúrios, e introspecção como ninguém se apresentou, Zezinho novamente fazendo uso da palavra, reiniciou seus argumentos dizendo que por seu trabalho em recuperar aparelhos de rádios nas aldeias, além das freqüentes visitas nos Postos Indigenas, teria (?) enorme amizade com os caciques e isso facilitava a propagação de seu nome e sua pretensão, e como ninguém se habilitou ou anunciou sua preferência em indicar um nome, o Eletrotécnico, com voz embargada pela emoção, declarou que aceitava o desafio de concorrer, e sabia com exatidão que se isso acontecesse a vitoria já estaria garantida. Aproveitou o entusiasmo, para até falar em forma de governar Jacareacanga, que jamais usaria a mesma prática de Carlos Veiga que na verdade pelo que fez nos últimos três meses finais de sua administração, não ganharia eleição pra nada em Jacareacanga, -nem para vereador.

Os presentes atônitos com a auto-indicação e a precipitação do correligionário apressaram-se em deixar o local, adiando a reunião subseqüente para uma data a ser marcada. Marcada por quem? O RP sugere a data: outubro de 2.012, com certeza haverá eleição nessa data.

Fato cômico do episódio foi que ao final, Carlos Veiga no aconchego de seu lar, na capital do estado, naquela mesma noite, recebeu inúmeros telefonemas de Jacareacanga, informando que fora “surrado moralmente” por Zezinho; interessante foi que o número de telefonemas foi quase igual ao numero dos presentes à reunião.

Sabendo do fogo amigo (muy amigo!) Carlos Veiga mostrou todo seu descontrole com o muy amigo e com um simples telefonema para Silvio Macedo, no qual mostrava sua indignação pelo massacre, determinou a exclusão de Zezinho de uma transação comercial que envolve uma radio em Jacareacanga prestes a funcionar. –Quero esse fdp Fora! – vociferou o ex-prefeito.

Comentários em Itaituba regados à gracejos, onde presenciei a presente informação, denunciam que a esposa de Zezinho, também incorporou a vontade do esposo e sobre condição de esposa de um postulante em ser prefeito acrescenta que teria muito a contribuir como primeira dama. Ate agora o ex-quase-candidato-a-prefeito-por-um-triz e a ex-quase-primeira-dama-se-o-treco-desse-certo continuam em Itaituba sonhando; ignorando que fogo amigo muitas vezes sai pela culatra.