RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

domingo, 26 de outubro de 2008

NÃO AFÁBIO... NÃO VISTA O RUBRO!

Afábio Freitas Borges, nome que já por algum tempo vem merecendo a atenção maciça da população eleitoral de Itaituba, voltou à cena política recentemente novamente concorrendo pelo Partido dos Trabalhadores, na corrida pela Prefeitura Municipal. Sua derrota contraria por certo, as expectativas dos que tem apego a uma revolução na administração municipal já que todos conhecem muito bem o Afábio, por seu sucesso como empresário e pessoa de profunda ação solidária aos menos favorecidos através de sua ação social que desenvolve nas agremiações filantrópicas, as quais pertence, além das ações que desenvolve no quotidiano de sua vida empresarial.

Na verdade a performance desse homem político decepcionou muito na corrida à Prefeitura à vista dos que o conhecem; vez que não transformou em votos a simpatia que irradia, a certeza e a verdade do que sempre sua palavra traduz, bem como não transformou em vitória a campanha que executou que levou sempre aos que assistiram uma palavra de esperança e fazia questão de mostrar que não estaria fazendo promessas e sim celebrando compromissos

Muitas perguntas pairam no ar concernente a falta de êxito de Afábio em sua empreitada:
-O porquê do insucesso?

-O porquê de não ter suplantado os dois opositores, já figuras carimbadas da política em Itaituba?

-Os motivos de seu vice Dudimar Paxiúba, não ter transformado em votos sua enorme popularidade, cujo já é considerado a maior projeção da política no município?

Mesmo com uma presença cênica televisiva nos horários de propaganda gratuita que pouco acresceu em votos devido a falta de uma melhor produção; Afábio excedeu simpatia e segurança no contato corpo a corpo e deve receber de todos, com certeza uma menção honrosa, por ter feito entre os três candidatos uma campanha digna de elogios, contrapondo-se aos seus concorrentes que se nivelaram por baixo em jogos e artifícios rasteiros por força das circunstâncias que se lhes apresentavam para captar votos.

Então, baixaria ganha jogo? Perguntariam os correligionários de Afábio.

Na certa há de ser feita uma reflexão para que seja colocado no entendimento dos conscientes seguidores do candidato do PT, respostas para suas indagações.

-Putz.... nós tínhamos a Governadora do nosso lado, o que aconteceu? – se perguntam os “idealistas” sem ideal, vestidos de rubro.

-Puta que pariu, isso é traição! – reclamaram os militantes fabricados para serem gladiadores sem se justificar os motivos para agirem de tal forma.

-"Caraio, ôve rôbo"! – concluiram os decepcionados integrantes da massa vermelha que vivia colado no cônscio Afábio Freitas Borges, que balbuciava apenas demonstrando resignação:
-O sonho do povo não acabou, foi apenas adiado... calma pessoal.

Afábio
está alerta para a política como sempre esteve, e sairá não por vontade própria, mas porque já não é o dono de seus passos políticos, que agora são de seus correligionários, à próxima corrida rumo ao palácio da Prefeitura Municipal; talento e vontade não lhe faltam, mesmo tendo contra si, uma mansidão característica dos grandes pensadores, que deixa evidenciado uma certa fragilidade, que ao final engana a todos.

É certo que deve ser repensado muitas coisas para que Afábio faça a revolução que pensa em Itaituba ao chegar à Prefeitura, e para chegar, uma delas com certeza é desvenciliar-se dos ideais dos outros que está copiando, e criar seu próprio "ideal de vanguarda".

A febre Lula foi aplacada por falta de investimentos federais que produzissem renda e emprego em Itaituba. O Governo Federal acabou a indústria de desdobro de madeira e não criou outra alternativa econômica para a região, deixando todos à miséria. Então Lula não é parâmetro para se ganhar ou ajudar ganhar eleições na região como também Ana Julia por tudo que representa para a região, através da inércia de seu Governo.

Para se ter no município de Itaituba, uma estrutura de governo progressista como sonha Afábio, seria interessante também que mudasse a cor de seu uniforme; trocasse o rubro por outra cor, sob pena de continuarmos vestindo o uniforme da estagnação, o preto!

Um comentário:

José Ronaldo disse...

Um absurdo voce escrever que a produção de televisão em nada acrescentou para Afábio se ele manteve igual ou mais a sua votação, na minha opinião a produção que foi feit para ele foi a melhor, uma pena que maioria da´população de Itaituba tenha se vendido ao Walmir, caso contrário, se somasse Afábio ganhava. Quanto aos programas de televisão de Walmir e Roselito eram horríveis, e eles tiveram mais votos, porque? Compraram, e o povo se vendeu, os votos de Afábio não, foram conquistado, pelo Afábio e pela comunicação feita pra ele.