RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

MINC APREENDE TORAS DE MADEIRAS

Edição de 24/10/2008

Até Carlos Minc participa de uma das maiores apreensões da história do Brasil
O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, participou ontem de blitz ecológica na floresta amazônica, a cerca de 200 quilômetros ao leste do município de Altamira, no Pará. Na operação, foram apreendidos cerca de 50 mil metros cúbicos de toras de madeira - o equivalente a 2.500 caminhões carregados com o produto vegetal.

Promovida por cerca de 30 agentes do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama), Ministério da Aeronáutica, Polícias Federal e Militar do Pará, com o apoio de carros e helicópteros, a operação resultou em uma das maiores apreensões de toras de madeira da história do País.
Tendo ao lado o presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Rolf Hackbart, e do secretário estadual de Meio Ambiente do Pará, Valmir Ortega, Minc fez questão de assinar dois termos de doação de seis mil metros cúbicos de madeira para o governo do Pará, Ministério de Desenvolvimento Social e Serviço Florestal Brasileiro. A outra parte será leiloada posteriormente como estabelece o recente decreto federal que regulou a Lei de Crimes Ambientais.

Ortega afirmou que cada tora apreendida deve ser leiloada por cerca de R$ 500,00. O ministro Minc enfatizou que os recursos arrecadados serão usados para a compra de veículos e outros materiais de fiscalização e, também, para reforçar a oferta de empregos e empreendimentos sustentáveis como as atividades extrativistas e a implantação de planos de manejo em unidades de conservação.

Minc enfatizou o caráter didático de estar ali, como ministro, para publicamente assinar os termos de doação de parte do material apreendido. 'Queremos deixar claro que os criminosos não vão enriquecer com produtos do crime ambiental', garantiu.

Na região visitada pela equipe governamental na gleba Tuerê, no município de Portel, que contou com a participação de jornalistas, foram apreendidos apenas nos últimos dias seis mil metros cúbicos de madeira. No local onde aterrissaram os helicópteros da comitiva horas antes havia sido fechada uma serraria ilegal com a apreensão de dezenas de toras de madeiras nobres e algumas máquinas de corte. Os criminosos, porém, conseguiram fugir evitando o flagrante. A região é uma mistura de terras públicas da União e do governo do Pará com várias invasões de grileiros.

No sobrevôo de helicóptero até a região que foi palco da operação nos últimos dias foram flagradas inúmeras áreas de desmatamento e queimadas e a presença de gado em unidades de conservação. Segundo o ministro, essas áreas deverão ser palco das próximas ações de repressão aos crimes ambientais na Amazônia.

Nenhum comentário: