RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

VEXAME NO EXTERIOR - IGREJA UNIVERSAL

Vexame no Exterior - Igreja Universal é acusada na Bélgica de envolvimento com tráfico de armas e drogas
ROSELY FORGANES (DE PARIS) E GILBERTO NASCIMENTO
Maior multinacional brasileira, a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), liderada pelo bispo Edir Macedo, orgulha-se de estar instalada em 60 países: do Japão aos Estados Unidos, passando pela Europa, África, América do Sul e América Central. Mas depois de expandir-se pelos quatro cantos do mundo, a Universal enfrenta o peso dos seus próprios tentáculos.
Na Espanha foi criada uma associação de defesa de vítimas da igreja. Na França, ela vem sendo investigada desde 1995 e as autoridades temem a crescente infiltração dos seguidores de Edir Macedo na economia do país. Em Portugal, foi fechado um dos mais antigos templos na cidade do Porto e o governo também impediu a utilização de canais de televisão para pregações.

Mas o maior de todos os problemas enfrentados pelo bispo Macedo ocorre na Bélgica. A Câmara dos Deputados belga criou uma comissão de inquérito para investigar 189 grupos religiosos. A Universal está entre os 37 que foram considerados problemáticos. O documento elaborado pelos deputados belgas, na conclusão das investigações, é um petardo. A Universal é acusada de ser uma "associação criminosa, cujo único objetivo é o enriquecimento". Para eles, a atuação da igreja é "uma forma extrema de mercantilismo da crença". Mais: os dirigentes liderados por Edir Macedo estariam "envolvidos com o tráfico de drogas e de armas no Paraguai e em Portugal". A organização também teria sido palco "de inúmeros escândalos sexuais", conforme o documento. O relatório, um calhamaço de 700 páginas, foi concluído em abril e pode ser consultado na rede mundial Internet (http://www.lachambre.be/).

Na Bélgica, a maioria dos membros da Universal é formada por mulheres vindas de países de língua portuguesa. A igreja possui templos em Bruxelas e na cidade de Antuérpia. A sede oficial, entretanto, é em Luxemburgo, país vizinho considerado paraíso fiscal. Ali, a Universal utiliza o nome Communauté Chrétienne du Saint-Esprit. "A presença da IURD em Luxemburgo é talvez um indício de que esta organização também está envolvida com a lavagem de dinheiro", pondera o documento. "As atividades na Bélgica, subvencionadas pela organização brasileira, poderiam ser apenas uma fachada para dissimular atividades ilícitas", concluem os deputados.
A Câmara belga diz que Edir Macedo teria acumulado em 20 anos uma fortuna que ultrapassa US$ 100 milhões. Um membro da comissão informou a ISTOÉ que não poderia revelar mais detalhes sobre a investigação nem o nome de uma principal testemunha ouvida porque os depoimentos foram colhidos em caráter sigiloso. A Universal foi citada na comissão pela gendarmaria (Polícia Militar), pelo Judiciário e por um criminologista, Jean Marie Abgral, autor do livro A mecânica das seitas, e um dos maiores especialistas no tema na Europa. "É uma organização destinada a arrecadar fundos. A religião é apenas um pretexto", afirmou Abgral ao depor na comissão.
O relatório do Parlamento belga não poupa críticas à igreja. "É uma grande empresa de calote", concluem os deputados ao detalhar o esquema das campanhas de doação desenvolvidas pela Universal. Os dirigentes da igreja também são condenados por prometerem até a cura da Aids e por terem um padrão de vida luxuoso, com viagens ao Exterior e hotéis de primeira classe. Para a Câmara da Bélgica, a Universal conquistou força e poder no Brasil graças "ao número crescente de analfabetos".
ISTOÉ procurou o coordenador político da igreja, o bispo Carlos Rodrigues, e a advogada da Universal, Maria Almeida, para ouvi-los sobre a acusação do Parlamento belga, mas não houve retorno aos telefonemas. Em silêncio e alheia à campanha internacional que começa a se formar contra os seus métodos, a Universal segue ampliando seu império de comunicação. No mês passado, adquiriu a rádio Mauá, a única emissora AM da Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro. Na França, está criando uma rede de empresas em diferentes setores da economia. Além de controlar as rádios FM Mediterrané e Ici et Maintenant (uma das pioneiras do movimento de rádios livres), a Universal comprou uma construtora, La Francilienne de Béton (com quatro mil funcionários), e duas agências

Um comentário:

Anônimo disse...

Vcs ñ tem mais o que inventar ñ,vão procurar notícias veridicas!
Que Deus os abençoe!