RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

segunda-feira, 14 de julho de 2008

FACÍNORAS DA NOVA ERA

A LEI DO RETORNO - AÇÃO/REAÇÃO/MATERIALIZAÇÃO (quem reboca será rebocado)
Arigozando - TÕdyôy

Tremei escórias da política suja!
Príncipes da nebulosidade
Reis do jeitinho brasileiro
Que impestam a moral por maldade
Se a justiça cega for aplicada
Se derem chances à hombridade
Coitados pobres mortais idiotas
A sujeira acabará de verdade.


Mesmo que sejam aprovados
Nesse concurso vestibular
E não forem impugnados
E o insucesso não lhes alcançar
Ainda tem as eleições
Pra suas condutas avaliar
Ninguém consegue esconder a face
criminosa de quem vive de enganar

È mesmo uma vergonha histórica
Pra quem tem vergonha na cara
O político contestado na justiça
Mesmo assim procura a batalha
Sabendo que seu nome sujo
Sua vida atrapalha
Quer voltar a ser eleito
E aumentar o prestígio de sua gentalha


É incrível a patifaria
Desses larápios com pinta de santos
Querem voltar a se firmar mais
Mesmo que a ambição cause espantos
Ambição que não tem limites
Que levam miséria a tantos
Que pisam em pessoas ordeiras
Sofrendo em muitos prantos

Todos esses políticos que se almeja
A necessária impugnação
No fundo desviaram do povo
Não somente grana em montão
Roubaram também a confiança
De um povo humilde de pé no chão
Que na verdade o político sujo
O humilhou sem dó e compaixão


Um recado seres abomináveis
Usurpadores da honestidade
Se por acaso o destino
For cruel com o povo de verdade
E a justiça não fizer justiça
E condenar o povo à crueldade
Não se esqueçam facínoras da nova era
Esse não é o fim do povo de verdade
Pois tem um Deus que criou tudo
Sabendo de sua maldade

Deus pode tirar Sua mão Santa
Da cabeça desses espertões
Deixando-os fragilizados
À mercê de maldições
Ai é a vez do diabo
De agir como mil leões
Devorando quem devorou o povo
Com maldição em cima de maldições


A vingança pode ser terrível
Pois o diabo também tem poder
Depois não tem lamentação
Quando doença lhes acometer
Não reclamem, -
eu não mereço
O que fiz pra tanto padecer
?
Porque minha doença não tem cura?
Chegou a vez do povo vencer!

Antes de tentar ludibriar o povo
Façam varias reflexões
Vejam o que dita suas consciências
Ou o que emanam de seus corações
E lembrem-se que o que for roubado
Do suor e sangue do povo sem ações
Aqui é mesmo o inferno e aqui se pagará
Do inferno virão reações


Quando o inesperado acontecer
Um câncer espalhado e ainda escondido
Quando um importante ente querido
de sua vida tiver sumido ou morrido
Quando sua bela noiva ou esposa
preferir um novo marido
É a mão do diabo em sua vida
Defendendo o povo sofrido

E aí não adianta mais
Chorar e berrar arrependido
Suas dores e temores se propagarão
Através de seus lamentos e alarido
É a lei do retorno lhe trazendo
O que foi semeado ao povo sofrido
E todos lembrarão de você
como um politico acabado e f...

Dedicado à todos que estão na Lista Suja, contestados, mesmo assim teimando em novamente terem o poder e as chaves dos cofres das prefeituras; e no Pará, tem muitos e se multiplicam com maléficos exemplos de impunidade.

Nenhum comentário: