RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

sexta-feira, 4 de julho de 2008

ENQUANTO OS CÃES LADRAM, A CARAVANA PASSA

Tímpanos, decibéis, besteirol, mentiras, injúria, difamação, briga, discussão, otite, lágrima, emoção, ladrão, corrupto, zoada, zoeira, rasga-rasga, aplauso, apupo, propina.

O que há de comum entre esses vocábulos?
Absolutamente nada! -diria a maioria.
Tudo! Diriam os que postulam um cargo eletivo. (os do "vale tudo")
E esses vocábulos a partir de domingo (6) estarão de uma forma ou de outra permeando com mais frequência os bocas, ouvidos e outros sentidos dos políticos ávidos pelo poder fazendo ecoar com maior intensidade nos sentidos, consciências, interesses, desinteresses de uma população, na verdade avessa a esse universo político partidário em que será colocado em expoente máximo a ação nefasta do que produzem tais palavras.

A população é uma caravana que passa ao largo, enquanto os cães ladram à procura de lograrem êxito em suas emboscadas para se chegar aos podres poderes que ainda é instituído na República do Salve-se Quem Puder.

Palanques não ganham votos, porque é no palanque que se produz apenas ataques ao adversário. Não há tempo para se fazer propostas, porque na verdade elas não existem, e como não existem, perder tempo pra quê?

-Pintando o sete com a vida pregressa do contrário.... ora bolas!... diriam alguns.

O certo é que, há a necessidade imperiosa de se captar simpatizantes e votos, é preciso propagar-se e desenvolver com maestria uma estratégia tão combatida e ainda muito usada, o assédio político, para pegar os incautos de calças curtas para que sirvam de massa de manobra.
Até aqui, para muitos, vale a pena ser insano político.

Nenhum comentário: