RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

sábado, 28 de junho de 2008

TRAÍDOS E TRAÍDORES - Quem são?

Jacareacanga - Custa a crer no que passa nos pensamentos e ações de algumas pessoas vinculadas ao Político Eduardo Azevedo, e entre esses, agregados e familiares que fartamente reclamam que os “amigos” de antes, deixaram de apoiar Eduardo Azevedo constituindo-se em traidores. Para terem tal pensamento essas declarações que beiram à ficção ou o inusitado, acham que Eduardo Azevedo é o sol ou um Deus e que todos devem seguir e reverenciar. Para entender a situação vamos ilustrar a história da seguinte maneira:

Uma jovem linda, leal, sincera e de bons costumes se enamora por um homem vaidoso, trabalhador, leal e sincero; decorrido algum tempo casam-se e produzem-se herdeiros. Na sucessão contínua dos tempos, o homem honesto, começa a alçar vôos em busca das maravilhas e aventuras que a vida oferece e começa a cortejar novas mulheres, esquecendo a leal companheira; findando o romance, obrigando a leal esposa a buscar novos horizontes e buscar a justiça para partilhar os bens. Dá para saber quem é o elemento traído e o traidor? É fácil! O homem probo e honesto abandonou a família e herdeiros através do caminho da infidelidade, por vaidade. Esse é o elemento traidor.

Traçando um paralelo entre a família dilacerada pela traição e os ataques “de Traidores” que jogam ao vento para cima dos ex-aliados de Eduardo Azevedo constata-se o seguinte analisando esses nomes.

Benezão, Dedé, Amazonas, Edivanor, Walter, Tabaco, Ferreira, Hélio, Zezinho, Tânia, Velhote, Haroldo, Nicolau, Laurimer, Toinho, Zé Augusto e outros tantos que a memória agora não alcança, todos esses personagens, além de muitos chefes de famílias, foram distribuídos pelos partidos criados por Eduardo Azevedo PSDB/PSC/PL, sendo administrado nos vínculos pelo próprio Eduardo para que fosse criado base sólida para levar progressos ao Município de Jacareacanga. Com o tempo, em suas teimosias homéricas, alem de invencionices que visavam pisar em seus constituídos amigos/aliados políticos Eduardo contrariado por não ter tido oportunidade de “opinar” na forma de administrar de Carlos Veiga, penso eu, resolveu ir para o confronto direto, e abandonou sua casa, esquecendo de seus aliados para se banquetear no PMDB onde transita Peninha (?), criando condições para que seus novos amigos achincalhem de traidores com os iguais de Eduardo de um passado bem recente. A herança está sendo mal distribuida. Fica no ar somente uma pergunta que não quer calar! Quem nessa história é mesmo o traidor? quem abandonou seus herdeiros? -os traídos respiram!

Nenhum comentário: