RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

quarta-feira, 21 de maio de 2008

SELVAGERIA E BARBÁRIE

Índios agridem diretor da Eletrobrás
Edição de 21/05/2008
(ALTAMIRA) -Um diretor da Eletrobrás foi agredido a golpe de facão, socos e pontapés por índios kaiapós na tarde de ontem em Altamira, no segundo dia do encontro Xingu Vivo Para Sempre, que está sendo realizado até sexta-feira, 23, por organizações ambientalistas, Ministério Público Federal e a Prelazia do Xingu. O evento discute a construção da hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu.
Paulo Fernando Vieira Souto Rezende sofreu um corte profundo no braço ocasionado por um golpe de facão desferido por um índio, depois de levar chutes e pontapés de quase cem índios armados para a guerra, no Ginásio Poliesportivo de Altamira. Paulo Fernando é o coordenador pela Eletrobrás dos estudos de viabilidade da hidrelétrica de Belo Monte e proferiu uma palestra sobre o projeto para cerca de 2 mil pessoas na tarde de ontem, defendendo a construção da hidrelétrica. Por volta das 16h30, ele concluiu sua participação e foi vaiado pelos presentes, uma platéia formada por integrantes de sindicatos, ribeirinhos, indígenas, jornalistas, procuradores, religiosos da Igreja Católica e integrantes de organizações não governamentais ambientalistas estrangeiras, todos contrários à construção da usina no rio Xingu.
Após a palestra de Fernando, cerca de cem índios armados partiram para cima do diretor da Eletrobrás, formaram um círculo em volta dele, ao mesmo tempo em que cantavam cânticos de guerra. Ele caiu no chão e os índios começaram uma sessão de pancadaria que durou cerca de cinco minutos, No chão, o funcionário público levou chutes, pontapés, bordoadas socos e teve a sua roupa praticamente toda rasgada por causa da agressão.

Depois de cinco minutos, um índio que ainda não foi identificado deu um golpe de facão no braço de Paulo Fernando, ocasionando um profundo corte. O sangue começou a jorrar do braço do servidor público federal e só então os índios pararam a pancadaria. Testemunhas que acompanharam o fato relatam que o servidor só não foi trucidado porque os índios mais exaltados pensaram que ele havia morrido. 'Vi a hora dos índios cortarem o pescoço dele', relatou um cinegrafista de uma emissora de TV local, que acompanhou as agressões de perto.
Assim que os índios permitiram, Paulo Fernando foi levado ao Hospital Regional da Transamazônica, onde foi medicado a tempo de não perder muito sangue. Segundo as informações dos médicos que o atenderam, ele já está fora do perigo e se recuperando bem do episódio. Até a noite de ontem, o diretor da Eletrobrás não pôde falar com a Imprensa sobre a agressão sofrida no evento.
O LiberaL

------------------
"-Trabalhei com índios durante 13 anos, fico admirado em constatar que aqui em nossa cidade está existindo pouca habilidade para se gerenciar assuntos inerentes aos direitos indigenas. Ao indio existe uma legislação especifica denominada Estatuto dos Índio, por serem de uma cultura diferente da sociedade envolvente. A intromissão de políticos na ação de promoção da saúde indigena, a cooptação que as lideranças estão tendo em Jacareacanga e em Itaituba, a inércia da Funai ante a situação reinante, está dividindo lideranças e familias indigenas, e pode se repetir aqui o que aconteceu ontem em Altamira, e a situação será de uma amplitude maior pois tem "Chefes Brancos" colocando em rota de colisão, Índio/Branco, Branco/Branco e ìndio/Índio. Conheço muito bem os indigenas e há inquietação no seio tribal, enquanto algumas lideranças ja destituídas do poder de liderança tribal, andam perambulando pela cidade de Itaituba às portas de "politicos" otimizando suas necessidades pessoais, nas Aldeias muitos indios estão com o Taixi-Badá cheio."

Se volvermos nossas atenções e olhos para a apuração que a Policia Federal vai fazer, não será dificil ser constatado "Brancos generosos" por trás da ação brutal, praticada pelos Indigenas em Altamira... é o assédio, moral, político, pecuniário
W. A. Tertulino

Um comentário:

Ricardo Pinto disse...

Prezado Walter,

Também faço parte da grande família de bloggers do cyberespaço e já me manifestei sobre esse episódio de Altamira em meu blog Temporal de Idéias.

Mas posto esse comentário apenas para reafirmar minha postura totalmente contrária à leniência do Poder Público com os desvarios e os banditismos cometidos pelos indígenas brasileiros. Uma vergonha.

Forte abraço e parabéns pelo Rastilho de Pólvora.

Ricardo Pinto
www.temporaldeideias.com